A+ / A-
Fundação Fé e Cooperação

Presentes solidários para marcar a diferença na vida dos povos mais vulneráveis

15 nov, 2017 - 10:33 • Ana Lisboa

A tradicional campanha de Natal da Fundação Fé e Cooperação vai decorrer até 6 de Janeiro.

A+ / A-

A tradicional campanha de Natal da Fundação Fé e Cooperação vai decorrer até 6 de Janeiro. Para ajudar, basta ir ao site "Presentes Solidários" e escolher entre os 13 presentes disponíveis.

Os presentes solidários pretendem dar resposta a necessidades prioritárias nos países lusófonos e ainda no Iraque, dando uma resposta concreta a vários desafios em áreas tão diferentes como a educação, saúde, alimentação, infraestruturas.

Por isso, é que fazem “toda a diferença na vida daquele que dá, porque é abdicar de um presente que, às vezes, é muito materialista e aqui concretiza-se num bem muito concreto e que muda a vida daqueles que o recebem”, diz Emanuel Oliveira, coordenador desta campanha da Fundação Fé e Cooperação.

Os presentes são sempre escolhidos de acordo com as necessidades de cada país, indicadas por agentes que se encontram no terreno. “Temos alguns parceiros no terreno e também as nossas equipas na Guiné-Bissau, em Angola, que fazem esta articulação directa com as comunidades ou com os parceiros locais. Mas, depois, também temos outros parceiros, como sejam a Cáritas de S. Tomé e Príncipe ou os Missionários do Verbo Divino no Brasil. São entidades que diariamente estão com estas comunidades, com estas famílias, percebem exactamente quais são as necessidades”.

Dez destinos

Este ano, há 13 presentes para 10 países. Ficam alguns exemplos de prendas que podem ser dadas: para Moçambique, um uniforme escolar; para Angola, uma consulta de dentista; para S. Tomé e Príncipe, lençóis e toalhas; para o Brasil, livros; e, para o Iraque, cimento e tijolos.

Há três presentes mais caros, designados como "XL", por causa do seu valor, que podem ser dados por “grupos de pessoas, ou uma paróquia, ou um grupo de catequese ou uma empresa", porque, "às vezes, entre todos, em vez de comprarem vários presentes pequenos, decidem juntar-se para oferecer um presente maior”, explica Emanuel Oliveira.

Esta campanha concretiza o slogan “Dar a duplicar”, porque, ao comprar um presente solidário, a encomenda é feita em nome de um amigo ou familiar que vai receber esse postal com a indicação de que a prenda foi dada em nome dessa pessoa.

Como habitualmente, a iniciativa é apadrinhada por várias personalidades, entre elas, a escritora Alice Vieira, o padre Tony Neves, o bispo de Lamego e a jornalista Maria João Avillez.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.