O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Ministério Público explica buscas na SAD do FC Porto

07 nov, 2017 - 19:45

Investigação foi feita a pedido e com supervisão das autoridades francesas. Foram igualmente inquiridos pessoas que tiveram ou têm ligações à SAD portista.
A+ / A-

O Ministério Público confirmou, esta terça-feira, em comunicado, que foram inquiridas, como testemunhas, pessoas que tiveram ou têm ligações à SAD do FC Porto, a propósito das buscas efectuadas no clube.

O FC Porto revelou, através de comunicado, que estão em curso buscas nas suas instalações, no âmbito de uma investigação com origem em França, relacionada com a transferência de um jogador não divulgado.

Sabe-se, agora, que as autoridades francesas investigam a transferência de Lucho González. A imprensa gaulesa fala em caos contabilístico do Marselha, num processo de uma lista de 18 jogadores negociados, na presidência de Jean Claude Dassier, em que está "El Comandante".

O Ministério Público esclareceu, através da Procuradoria Geral do Porto, que, em execução de um pedido de cooperação judiciária internacional, recebido das autoridades francesas, ordenou a realização de diversas diligências, designadamente buscas na SAD do clube portista. A Polícia Judiciária colaborou nas operações desta terça-feira, que também foram acompanhadas por dois elementos das autoridades francesas.

"Foram igualmente inquiridos, como testemunhas, pessoas que tiveram ou têm ligações à SAD do Futebol Clube do Porto", esclarece o Ministério Público. "A carta rogatória em questão está em segredo de justiça."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.