A+ / A-

PSP e GNR: 200 homens deixam a secretária e passam para a rua

07 nov, 2017 - 18:35

Anúncio feito pelo ministro da Administração Interna, no parlamento. Eduardo Cabrita não define prazo, limitando-se a apontar "em breve".
A+ / A-

O ministro da Administração Interna disse, esta terça-feira, no parlamento, que vão ser libertados - "em breve" - 200 elementos da PSP e da GNR de funções administrativas para a actividade policial, sendo substituídos por pessoal proveniente de outras áreas da administração pública.

“Vamos pela primeira vez, em muitas anos, utilizar mecanismos de mobilidade no âmbito da administração pública, isto é, vamos substituir 200 efectivos, 100 na GNR e 100 na PSP, por pessoal administrativo proveniente de outras áreas da administração”, disse Eduardo Cabrita, na Assembleia da República, durante a discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2018.

O ministro adiantou que a libertação dos 200 efectivos da PSP e da GNR para a actividade policial vai acontecer “muito breve”.

Eduardo Cabrita disse ainda que para o próximo ano, tal como estava previsto para 2017, a PSP vai ter mais 400 novos elementos e a GNR 350.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • FS
    08 nov, 2017 Lusitânia 22:10
    Olha José Moreira, só se deixa caçar quem quer, ou quem não respeita os outros! Não gostas de regras, vai e leva os teus amigos comentadores que não conhecem os assuntos, mas mesmo assim falam, pra um planeta onde estejam à vontade, e não sejam "caçados"
  • Aderito Vieira
    08 nov, 2017 Amadora 11:17
    Colocar civis a trabalhar com processos crime e em segredo de justiça, nao me parece boa ideia. Parte da formaçao policial é aprender a lidar com todo o tipo de processos, quer cível, quer criminal. Alem de advogados, oficiais de justiça e juízes, quem mais tem habilitaçao para lidar com essas matérias sensiveis. Vao tirar oficiais de justiça e escrivaos dos tribunais...Dou o exemplo: no ambito dum inquérito em que no final se chega a conclusao que o inquirido deve ser considerado arguido, o civil chama o agente e este é que o constitui arguido? Nao é viavel, mas como tudo em Portugal, quem nao percebe nada do assunto é que toma decisoes.
  • Carlos Silva
    08 nov, 2017 Amora - Seixal 09:08
    Boa medida, que vai ser contestada pelos lateiros que estão acomodados à secretária e pelos sindicatos que vivem desse lateiros!
  • JR
    08 nov, 2017 LIsbo, Puto 08:54
    Há muitos anos que deviam ter posto assistentes técnicos a fazer esses serviços. Mais rápido e melhor. Uma participação de cinco minutos chegam a demorar duas horas.
  • alberto sousa
    08 nov, 2017 portugal 07:45
    Não sei se irá para a frente esta medida. Primeiro porque há serviços administrativos que só podem, e DEVEM, ser feitos por agentes de segurança, seja pelas suas "nuances" seja pela privacidade dos cidadãos, e, segundo, grande parte destes agentes estão nos serviços administrativos porque, por um motivo ou por outro (físico, psicológico ou mental)(já)não estão capazes de ir para a rua. Querem mais agentes na rua preparem mais juventude, formem mais vagas. Afinal de contas um administrativo civil custa tanto como um agente, assim que...deixem ficar quem sabe trabalhar.
  • tuga
    08 nov, 2017 Lisboa 07:41
    Se for para andarem a passear de carro.....despesas já pagamos muitas!!!!!
  • Rui
    08 nov, 2017 Funchal 06:36
    Só conserva , ver para crer . Há com cada ignorante a comentar inquérito não sabe . Onde e quando é que a PSP recebe subsídio de risco?
  • António Moreira
    08 nov, 2017 Trofa 04:00
    mais caça à multa, simplesmente...
  • 08 nov, 2017 Lisboa 03:15
    Tanto Marciano! Ó amigo ze de (braga), muito bem quando tiver com os tintis apertados e a patrulha a 3km " quero ver" ui,ui,ui, marchar ...marchar..., Então! Filipe de (Évora), por acaso sabe quantos papeis são precisos preencher numa simples queixa?, estou a ver que é muito mexido!, António Oliveira de Portela " engano seu... inverta o seu comentário e estará correto engloba matéria sensível e confidencial esta função. Augusto Mendes de Aveiro, diz e diz mal HÁ ANOS... Luque de Viseu; cuidado com as Rotundas está a ficar paranoico, está a falar nas parcerias pública ou privada hê: ?55 será que quis dizer 85 "sua segurança acima de tudo" e esta hem. Bento Fidalgo de Agualva; utopia...vê muitas séries do tio SAM, a esperança é a última a morrer talvez no século xxx " por aí...depois da volta ao Mundo. Opinar por opinar mais vale estar calado...Irra...
  • Jose
    07 nov, 2017 Lisboa 23:54
    Uma boa medida, e vamos acreditar que se concretize.Quanto aos burros que já estão a zurrar...temos pena.