O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Governo avança com taxa sobre alimentos ricos em sal

12 out, 2017 - 20:09 • Paulo Ribeiro Pinto , Paula Caeiro Varela

Batatas fritas, bolachas e biscoitos com excesso de sal vão ficar mais caros, segundo uma versão provisória do orçamento a que a Renascença teve acesso.
A+ / A-

O governo vai incluir um novo imposto sobre alimentos com elevado teor de sal no Orçamento do Estado para 2018. Esta era uma das matérias que ainda estavam em avaliação, e que vão avançar, segundo uma versão provisória do orçamento a que a Renascença teve acesso.

A medida é muito semelhante à das bebidas açucaradas e deverá entrar em vigor em Julho do próximo ano. Estão sujeitos a este imposto alimentos com teor de sal igual ou superior a um grama por cada 100 gramas de produto.

Neste universo estão incluídos bolachas e biscoitos; alimentos que integrem flocos de cereais e cereais prensados; batatas fritas ou desidratadas.

A taxa é inferior a um cêntimo por quilograma (0,80 cêntimos). Em termos de receita fiscal, a nova taxa vai render ao Estado oito euros por tonelada.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vaca voadora
    13 out, 2017 Setúbal 23:21
    Pois mais impostos e mais ainda hão de vir! Lá se vão os tais anunciados aumentos e a tudo isto chama-se inflação e normalmente com ela só os grandes é que saem beneficiados!.
  • maria
    13 out, 2017 viana 11:38
    pois e 1 os combustiveis depois os sumos agora as balachas e batatas amanha o que sera --bom eu como estou perto da fronteira ja vou a espanha abastecer o carro e comprar os sumos agora aproveito e compro la as bolachas e as batatas o pior e que nem todos podem fazer como eu viva a esquerda a tal que nao cria impostos directos
  • mendes
    12 out, 2017 braga 23:09
    viva o ps da com a esquerda tira com a direita entao eu que so gosto de bolacha de agua sal la se vai o aumento da reforma para as bolachas
  • Filipe
    12 out, 2017 évora 20:40
    O que é para o governo o excesso de sal , para um sedentário como eles ou para um desportista que pratique atividade regular ? O sal faz falta , ensinar a comer sal dá vida , pois permite a regulação do ritmo cardíaco quer no sedentário ou no desportista e evita a desidratação retendo água no corpo . O que o governo quer eu digo e já o fez com o principal alimento dos pobres idosos , o pão . É matar uns quantos idosos por desidratação quando em Portugal existem golpes de calor prolongados como tem existido ultimamente e basta ver quantos morrem nessa altura . Porquê ? Para deixarem de pagar reformas e encargos com o Sistema Nacional de Saúde . Comer sal dá vida , beber vinho tinto dá vida .. tudo nas condições normais , pois demais , até água a mais mata .