O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Autárquicas: PS "oficial" vence em Matosinhos

02 out, 2017 - 04:44

Luísa Salgueiro foi eleita presidente, sem maioria absoluta, derrotando os ex-militantes do PS Narciso Miranda e António Parada.
A+ / A-

A socialista Luísa Salgueiro foi eleita no domingo presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, sem maioria absoluta, derrotando os ex-militantes do PS e agora independentes Narciso Miranda e António Parada.

A vitória de Luísa Salgueiro, a primeira mulher candidata à autarquia e, agora, a primeira mulher a assumir o cargo de presidente, permitiu ao PS recuperar o município que, desde 2013, estava entregue ao independente Guilherme Pinto, falecido em Janeiro deste ano, tendo depois assumido o cargo o vice-presidente, Eduardo Pinheiro.

Em 2013, Guilherme Pinto – que se havia desfiliado do PS e que voltou a filiar-se antes de morrer – venceu as eleições como independente, derrotando o socialista António Parada que, nestas eleições, se apresentou como independente.

Nas eleições autárquicas de 2009, Guilherme Pinto venceu pelo PS, batendo o ex-socialista e independente Narciso Miranda que, entre 1977 e 2005, assumiu os destinos de Matosinhos igualmente pelo PS.

A Câmara de Matosinhos é conhecida por ser um “bastião” socialista, dado nunca nenhum partido, tirando independentes, ter assumido a sua liderança, por isso, a vitória de Luísa Salgueiro pelo PS foi uma “grande reconquista”.

No seu discurso, quando ainda não eram conhecidos os resultados finais, Luísa Salgueiro afirmou que a sua vitória era um “momento de particular alegria” por o concelho se reencontrar com o partido.

“É um momento de particular alegria por o concelho de Matosinhos se reencontrar com o PS, o PS nunca faltou a Matosinhos e Matosinhos nunca faltou ao PS”, vincou.

Nestas eleições, o PS subiu de 25,26% dos votos para 36,36% e de três vereadores para cinco, seguido da lista de Narciso Miranda, com 16,19% (dois mandatos) e do Movimento de Cidadãos de Matosinhos – SIM, liderado pelo António Parada, com 15,13% (um mandato).

Já o PSD subiu de 9,31% para 11,85%, assegurando um vereador, o PCP-PEV desceu de 7,32% para 6,71%, mas mantém um eleito e o BE continua sem eleger um vereador no executivo. O PAN, a concorrer pela primeira vez à câmara, não conseguiu a eleição de um vereador.

No que diz respeito às juntas de freguesia, o PS sagrou-se vencedor nas quatro uniões de freguesia.

Quanto à Assembleia Municipal destaque para a entrada no elenco de três novas bancadas, a do Movimento Narciso Miranda por Matosinhos com seis eleitos, a do Movimento de Cidadãos Independentes António Parada SIM com cinco eleitos e a do PAN com um eleito.

Já o PS consegue mais três eleitos, subindo de 10 para 13, o PSD mantém os quatro eleitos e o PCP-PEV e o BE perdem um, passando de três para dois e de dois para um, respectivamente.

Matosinhos registou um aumento na afluência às urnas de 49,09% para 56,19% votantes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.