O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Passos não se demite, mas admite não se recandidatar

01 out, 2017 - 23:41

"O resultado desta noite foi um resultado muito pesado para o PSD e eu não gosto de fugir às minhas responsabilidades", afirmou.
A+ / A-
Passos não se demite, mas admite não se recandidatar
Passos não se demite, mas admite não se recandidatar

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, admite não se recandidatar a novo mandato no partido depois de os sociais-democratas obterem um "dos piores resultados de sempre" na sua história.

"Eu não me vou demitir hoje ou amanhã. Farei uma reflexão aprofundada sobre as condições para me submeter a um novo mandato", disse Passos, este domingo, explicando que essa reflexão será feita com a sua comissão política, mas será, sobretudo, uma reflexão pessoal. "Vou avaliar se politicamente faz sentido ou não propor-me a um novo mandato dentro do PSD”.

“Disse que não me demitiria em resultado de eleições locais e mantenho aquilo que disse, não seria um bom princípio, mas farei a minha avaliação para ver se tenho condições para novo mandato”, disse.

Sobre o "timing" em que fará essa reflexão, o líder do PSD não esclareceu se ela estará concluída a tempo do Conselho Nacional da próxima terça-feira, mas prometeu que não demorará muito tempo.

O líder social-democrata reconhece que “evidentemente há sempre leituras nacionais. Não posso deixar de assumir responsabilidade por esse resultado”.

Passos Coelho admitiu que o partido não só não alcançou o objectivo a que se tinha proposto de conquistar mais câmaras e mandatos como deverá, até, ter um resultado inferior ao de 2013, que já tinha sido o pior resultado de sempre dos sociais-democratas em eleições autárquicas.

“Tudo indica que teremos tido um dos piores resultados de sempre do PSD, pior do que teve em 2013”, acrescenta. "O resultado desta noite foi um resultado muito pesado para o PSD e eu não gosto de fugir às minhas responsabilidades", afirmou.

Passos Coelho aproveitou as declarações na sede do partido para “cumprimentar o PS pela vitória”, que “reforçou o número de câmaras e mandatos”.

Na próxima terça-feira haverá um Conselho Nacional onde será feita a avaliação dos resultados autárquicos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria Teresa
    02 out, 2017 Lisboa 22:17
    Não foi por causa do bom ou mau desempenho do Governo de Passos Coelho que não votei na Teresa Leal Coelho, até porque acho que a melhoria da economia nacional e o "êxito" do Governo de Costa, se devem em grande parte às medidas do Governo anterior e o resto é fogo de vista. Também não votei em ninguém da Geringonça. Não votei na Teresa leal pela sua posição em temas fraturantes que ajudou a aprovar na Assembleia da República e que considero um mau serviço à Humanidade. Estou convencida de que estes temas roubaram muitos mais votos ao PSD do que o seu desempenho durante a governação.
  • Filipe
    02 out, 2017 Barreiro 21:12
    Não confundo o sr Sócrates com o PS, nem o sr Coelho com o PSD. Ambos foram péssimos PM demagogos, elitistas e arrogantes, que prejudicaram milhões de portugueses com políticas de má—fé, algumas criminosas e outras de uma austeridade estúpida. Felismente foi possível correr com eles. Os indicadores de desenvolvimento económico e social estão a recuperar, graças a uma melhor distribuição do rendimento. O clima democrático melhorou em resultado do ambiente parlamentar único. Finalmente os Partidos de esquerda estão comprometidos e isso é bom. Não importa quem governa, desde que o faça democráticamente e prósperamente, para o bem de todos.
  • Maria Celeste Amado
    02 out, 2017 Miratejo - Corroios 19:11
    ...Não sei porquê tanta revolta contra Passos Coelho,nem consigo perceber porque andam os barões a furar caminho,para lhe ocupar o lugar...a não ser que eu viva,como me parece,num país de brinquedo,e o que interessa,a muitas pessoas,é QUANTO PIOR,MELHOR...o que Passos Coelho teve de fazer,quando chegou a Primeiro-Ministro foi PAGAR a BANCARROTA que Sócrates,e quem disser o contrário,é ALDRABÃO e INSENSATO...o que ainda me faz,mais,crer,neste pensamento..."VIVEMOS NUM PAÍS,FALIDO,E TEMOS A MANIA QUE SOMOS RICOS"...mais...SE NÃO FOR A EUROPA,MORREMOS DE FOME!"...
  • Filipe
    02 out, 2017 Barreiro 18:49
    Julgo que o sr. Pedro P. Coelho acredita que pode voltar a ser primeiro ministro, que nasceu para governar e que o poder é seu por direito. Acontece que a sua governação foi asquerosa, sob quase todos os pontos de vista. Chegou a ser repugnante. O Povo tem memória, não esquece e não perdoa. Contudo, por vivermos numa democracia, considero que o sr PPC tem o direito a recandidatar—se, submetendo—se às diretas do seu partido. Se ganhar, volta a estar ligítimado mas isso seria o fim do PPD—PSD, um partido histórico e fundador da democracía portuguesa. O PPD—PSD é um partido fundamental, desde que volte a ser, progressista, inovador e promotor da prosperidade.
  • fanã
    02 out, 2017 aveiro 16:35
    Este individuo , é um caso de estudo em psiquiatria . Qualquer Líder com um pouco de dignidade teria apresentado a demissão na hora , os próprios congéneres assim o solicitaram de formas mais ou menos expressivas . Mas não.......... , o tique Salazarento de pequeno Ditador monopoliza-lhe a mente !...............................Ou será o Diabo o culpado ?
  • mendes
    02 out, 2017 braga 14:53
    para quem tem memoria curta aqui vai--ps 3 bancas rotas governos ps o 1 a querer cortar o 13mes e subsidio de ferias governo ps retem subsidio de ferias do povo prometendo devolve lo mas esqueceu se e nunca o devolveu governo ps cria imposto complementar governo ps acaba com a lisbor crida por sa carneiro governo ps perdoa divida de mobambique e angola governo ps so paga em novembro de 2017 o que devia ter pago em dezembro de 2016 governo ps faz acordo comercial com a china os chineses tomam conta do comercio e levam os comerciantes portugueses a falencia ps para estar no governo alia se a direita cds governo ps perde eleicoes e para tumar o poder alia se a esquerda radical be e pcp ainda ha mais mas hoje fico me por aqui
  • P/carlos lisboa
    02 out, 2017 do jardim das tabuletas 11:15
    O Passos Coelho queria levantar o país à custa dos cortes e dos subsídios que retirou aos trabalhadores, empobrecendo-os cada vez mais sem dó nem piedade. Se queria cortar que cortasse mais nos ricos e naquilo que estava a mais e que só servia para engordar mais alguns parasitas, que controlasse a fuga dos milhões para os paraísos fiscais. Ah e meteu privados contra o público quando os do público tinham os salários congelados e salários da cauda da europa. Uma falta de respeito que muitos dos fun, públicos não o perdoam. Quanto ao Cavaco Oh carlos de lisboa, este foi um dos responsáveis também por este país chegar aonde chegou apesar do socras e dos banqueiros e corruptos, foi dos tais que foi dizer para paris que investissem em portugal que havia mão de obra qualificada e fácil de despedir, apoiando a precariedade (múmia do inferno) Não venhas para aqui zurrar defendendo o psd que não convences ninguém.
  • Antonio
    02 out, 2017 Vale de Cambra 09:54
    Ela sabia que o ia encontrar ! e encontrou ( o DIABO) mas não se demite, ele não abandona os seus (MAFARRICOS).
  • 02 out, 2017 aldeia 09:21
    como o coelho deu cabo do ppd de Sá Carneiro!.......Reflita e emigre,pois cá está morto politicamente.
  • 02 out, 2017 Lisboa 09:19
    Correr com aquela parasitagem que vegeta no PSD querem todos é tacho. Querem é servir-se do PSD, este partido tem gente competente capaz de desenhar uma estratégia para o país.e acima de tudo servir o partido, o PSD precisa de uma gigantesca vassourada no lixo que está a destruir a essência do partido e a denegrir a imagem de um grade partido que teve como fundador uma enorme figura Sá Carneiro..