A+ / A-

Rui Moreira põe Rui Rio e Paulo Rangel no lote dos "grandes derrotados" da noite

01 out, 2017 - 21:55

Independente celebra vitória no Porto e acusa sociais-democratas de utilizarem autárquicas como rampa de lançamento para a liderança do PSD. E cita Sá Carneiro.
A+ / A-

Os sociais-democratas Rui Rio e Paulo Rangel foram dois dos "grandes derrotados da noite" eleitoral, acusou o independente Rui Moreira no discurso da vitória na Câmara do Porto.

"No PSD quero cumprimentar o candidato Álvaro Almeida e Pedro Duarte. Não posso deixar de dizer que os grandes derrotados desta noite têm rostos, como o de António Tavares, Rui Rio e Paulo Rangel”, afirmou Rui Moreira na sede de campanha.

“Não digo isto por não nos terem apoiado, mas terem utilizado o Porto para território de disputa de índole nacional. As eleições autárquicas no Porto não são as primárias secretas do PSD”, prosseguiu.

Para o autarca, que as projecções das televisões dão como vencedor, com possibilidade de conquistar a Câmara do Porto com maioria absoluta, Álvaro Almeida “foi escolhido para ser abandonado a última hora para, tardiamente, darem apoio à candidatura de Manuel Pizarro”.

Rui Moreira também deixou duras críticas ao Partido Socialista, que "tentou numa primeira fase condicionar o nosso movimento".

"O apoio que nos oferecia tinha um preço que o nosso movimento independente não quis pagar. Depois tentou, através da participação de membros do Governo, nacionalizar a campanha e esse foi um preço que a cidade não quis pagar", afirmou.

O autarca agradeceu o apoio do CDS e prometeu continuar a ouvir os portuenses nos próximos quatro anos.

"Com a nossa vitória o Porto conquistou uma garantia: os grandes projectos que lançamos vão ser concluídos com contas à moda do Porto", garantiu Rui Moreira, que terminou o seu discurso com uma citação de Francisco Sá Carneiro, histórico social-democrata.

Autárquicas. O terror, a música e o serão esfuziante: cenas de uma noite eleitoral
Autárquicas. O terror, a música e o serão esfuziante: cenas de uma noite eleitoral
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    02 out, 2017 Viseu 21:00
    Os portugueses têm direito a responsabilizar o Governo da geringonça social-comunista: «A dívida pública superou em agosto o patamar psicológico dos 250 mil milhões de euros, de acordo com os dados do Banco de Portugal. E está já 388 milhões de euros acima deste limiar, isto depois de ter aumentado em 1,3 mil milhões face ao mês anterior». Porquê?
  • Zé Povinho
    01 out, 2017 Lisboa 23:49
    Rui Rio, cometeu um grande erro, fazendo apariçao a apoiar o PSD. Rui Rio, deveria ter-se resguardado, para assim aparecer agora, desmarcado do atual e obsoleto PSD , para agora arrancar para a liderança do PSD, pois se Passos Coelho sai, nao vai ganhar nada, se para lá for parar alguém da mesma filosofia de extrema direita, que compoe atualmente o PSD. Se o PSD quer voltar a ganhar terreno, terá que voltar a ser como o foi antigamente, ou seja, mais central, mais Social(ista) e Democrático!
  • Jota
    01 out, 2017 Porto 23:19
    Pois cá para mim os únicos derrotados foram os Portuenses. Rui Moreira como já é hábito, continua com o seu discurso de ataque e de dar uma no cravo e outra na ferradura. Aguardo pelos resultados das juntas de freguesia, e se António Fonseca ganhar a junta da união de freguesias do centro histórico do Porto, então é que os Portuenses daquela zona estão tramados