A+ / A-

PR apela ao voto “para travar subida da abstenção”

01 out, 2017 - 14:11

A+ / A-

O Presidente da República votou este domingo em Celorico de Basto, pouco antes das 13h00, onde apelou à ida à urnas "para travar a subida da abstenção".

"Pelo que eu percebi aqui, a abstenção está ao nível das últimas eleições autárquicas. Espero que diminua durante a tarde. Espero que se faça um esforço para travar a subida da abstenção. Nas últimas eleições locais houve uma subida, é uma tendência", afirmou aos jornalistas, depois de ter votado na freguesia de Molares, concelho de Celorico de Basto, onde tem raízes familiares.

O chefe do Estado recordou que as autárquicas são as eleições mais próximas da população e, por isso, afirmou fazer-lhe “impressão” a abstenção.

"Não pode ser, porque sendo um poder tão próximo das pessoas, as pessoas, de repente, não se interessarem por aquilo que é próximo das suas vidas, faz-me impressão, não consigo compreender", declarou.

Marcelo Rebelo de Sousa questionou depois: "Ora, se [não se vota] numa eleição que diz tanto a tanta gente, nas várias áreas de Portugal, então em que eleição é que se há de votar?".

À chegada à Junta de Freguesia onde votou, o Presidente da República cumprimentou os autarcas locais e alguns populares que se encontravam à porta, dirigindo-se a eles, em alguns casos, pelo próprio nome.

Aos jornalistas, Marcelo recordou que foi autarca em Celorico de Basto, concelho do interior do distrito de Braga onde vota há várias eleições.

"É natural que venha votar onde tenho raízes e onde estou recenseado e, portanto, não mudo pelo facto de ser Presidente da Republica", afirmou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.