A+ / A-

Passos Coelho convicto que PSD vai reforçar implantação autárquica

29 set, 2017 - 22:59

"Quem acha que o mundo em Portugal ainda se divide entre os rurais e os urbanos engana-se muito, o que nós queremos é um país com mérito, que se esforce e trabalhe", disse o líder social-democrata.
A+ / A-

O presidente do PSD manifestou-se convicto de que o partido irá reforçar a sua implantação autárquica e justificou o encerramento da campanha em Felgueiras dizendo não olhar "de maneira desconfiada" para o país fora das grandes cidades.

No segundo comício da noite de apoio ao candidato do PSD para a Câmara Municipal de Felgueiras (o primeiro foi na Lixa), Passos Coelho defendeu que hoje, último dia de campanha eleitoral, não é tempo de falar de política nacional.

"Hoje os rosários não são desta natureza. Hoje temos de falar de como nos orgulhamos em ser o partido de implantação autárquica que somos e, deixem-me dizer-vos, estou convencido que iremos reforçar nestas eleições de 1 de Outubro", defendeu.

Passos Coelho justificou também a sua escolha de encerrar a campanha do partido em Felgueiras, dizendo que o PSD não "olha mal para as grandes cidades", mas também "não olha de maneira desconfiada para o resto do país como se o resto do país não contasse".

"Quem acha que o mundo em Portugal ainda se divide entre os rurais e os urbanos engana-se muito, o que nós queremos é um país com mérito, que se esforce e trabalhe, seja em Felgueiras, seja no Porto, seja em Lisboa, seja em Beja, seja em Faro, seja em Bragança", defendeu.

"Valeu a pena esta campanha eleitoral e vão valer a pena os próximos quatro anos", vaticinou.

O líder do PSD disse que, nesta campanha, se bateu por dois objetivos: mostrar que os candidatos do partido "colocam sempre em primeiro lugar os interesses das suas gentes, das suas terras" e "fazer um balanço da obra" realizada, mas, "ao mesmo tempo, falar do futuro".

"Quero deixar um abraço muito grande a todos os nossos presidentes da câmara que vão a votos nestas eleições e que vão, em democracia, prestar contas daquilo que fizeram", referiu.

O presidente do PSD encerrou a campanha autárquica com a nota de que “queremos país com mérito”. “Queremos país com mérito, queremos gente que não baixa os braços, exigente com os outros”, disse.

Antes, o candidato à Assembleia Municipal de Felgueiras Rui Marinho fez um apelo contra a abstenção nas eleições de domingo, mas cometeu uma pequena 'gaffe': "Não se esqueçam de votar no dia 1 de Abril".

Antes dos discursos políticos, o cantor popular Flávio Gil e um conjunto de bailarinas animaram as centenas de populares que se juntaram em Felgueiras, vindos das várias freguesias do concelho, num dos poucos comícios ao ar livre da campanha.

Inácio Ribeiro conquistou a câmara em 2009 à então presidente Fátima Felgueiras, na altura com o apoio do CDS.

Em 2013, os dois partidos não se entenderam e os sociais-democratas coligaram-se com o PPM, reforçando a maioria conquistada quatro anos antes. Em 2017, repete-se a coligação com os monárquicos.

Em Felgueiras, concorrem além do actual presidente da Câmara Inácio Ribeiro (coligação PSD/PPM), o independente Nuno Fonseca (coligação PS/Livre), Rui Miranda, no âmbito de uma coligação entre CDS-PP e "Nós Cidadãos", Paulo Alves, pelo Juntos Pelo Povo, e António Peixoto pelo PCP-PEV.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.