O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Londres. “É muito cedo” para saber se suspeito já estava no radar das autoridades

16 set, 2017 - 18:00

Quem o diz é a ministra Amber Rudd.
A+ / A-
Testemunhas descrevem pânico após explosão em Londres. "Era cada um por si"
Testemunhas descrevem pânico após explosão em Londres. "Era cada um por si"

A secretária de Estado britânica da Administração Interna, Amber Rudd, diz que ainda é "muito cedo" para dizer se as autoridades conheciam o suspeito do ataque no metro de Londres, que foi "uma sorte" não ter sido mais grave.

A explosão de uma bomba no metro de Londres provocou na sexta-feira três dezenas de feridos, tendo hoje sido detido um suspeito pela polícia de Kent, um jovem de 18 anos.

A secretária de Estado disse hoje que a bomba artesanal era um dispositivo "sério", que podia ter causado muito mais danos.

Amber Rudd apelidou a prisão de um suspeito como "muito significativa" e referiu que a polícia está a fazer progressos rápidos na investigação.

Rudd acrescentou que o Centro de Análise ao Terrorismo irá avaliar se o nível de ameaça se manterá classificado como "crítico" nos próximos dias.

A secretária de Estado, que presidiu a uma reunião do gabinete de emergência para discutir a ameaça terrorista, disse que informou a primeira-ministra, Theresa May, da evolução da situação em relação ao ataque de sexta-feira.

A polícia britânica continua a fazer buscas num subúrbio de Londres, em Sunbury, no âmbito da investigação do ataque ao metro, e mandou mesmo evacuar algumas casas. Foram colocados cordões de segurança em torno do bairro, não muito longe do aeroporto de Heathrow, mas nenhuma detenção foi anunciada.

A Grã-Bretanha está em alerta máximo, tendo o comissário da polícia de Londres pedido às pessoas para que se mantenham atentas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joao Magalhaes
    17 set, 2017 Lisboa 08:35
    Já estou há espera da mesma cassete " não vamos ter medo, não vamos aceitar, não nos derrotam, estamos mais unidos, bla bla bla " mas depois vem a realidade e não se vê nada a ser realmente feito, eles estão todos na mira mas a verdade é que nenhum está vigiado, todos andam à vontade em Inglaterra e nos outros Paises Europeus.
  • Marcio
    16 set, 2017 Coimbra 20:08
    Valia mais ficar calada!
  • Sempre atento
    16 set, 2017 Trancoso 19:20
    Sabiam sim senhor, só que as autoridades são um fracasso, e quem paga é o povo inglês.
  • ALETO
    16 set, 2017 Lisboa 18:53
    Sim, ainda é muito cedo e o governo britânico de Theresa May ainda está a fabricar a história definitiva de mais uma operação de falsa bandeira, com o objectivo de continuar bem firme no poder. Enquanto a popularidade de Theresa May descer, mais casos de terrorismo vamos ter, iguais a este.