O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

​Cristas saúda reconhecimento do esforço dos portugueses e do trabalho de dois governos

16 set, 2017 - 13:20

A líder centrista argumentou que com "uma trajectória de redução da dívida" e "estabilidade nas políticas" esta subida poderia ter sido antecipada, sublinhando igualmente que a agência defendeu a manutenção da reforma laboral.
A+ / A-

A presidente do CDS-PP saudou este sábado a subida de 'rating' de Portugal pela agência de notação financeira Standard and Poor's como reconhecimento do trabalho de dois governos e do esforço dos portugueses, ressalvando que já podia ter acontecido.

"É o reconhecimento de um trabalho de seis anos, ou seja, de dois governos, mas essencialmente do esforço de todos os portugueses. Hoje todos os portugueses podem sentir que o seu esforço foi reconhecido por esta agência, era bom que tivesse sido reconhecido antes, teria havido, porventura, condições para ser reconhecido antes", defendeu Assunção Cristas.

A líder centrista argumentou que com "uma trajectória de redução da dívida" e "estabilidade nas políticas" esta subida poderia ter sido antecipada, sublinhando igualmente que a agência defendeu a manutenção da reforma laboral.

Assunção Cristas falava aos jornalistas no mercado de Benfica, em Lisboa, numa acção de pré-campanha da sua candidatura à Câmara da capital, encabeçando a lista da coligação "Pela Nossa Lisboa" (CDS-PP/MPT/PPM).

"Isto não nos pode levar a esquecer que há trabalho para fazer, eu continuo muito preocupada com os níveis muito elevados da dívida, certamente baixando a notação fica um pouco mais barata, mas são níveis muito elevados. A dívida não está numa trajectória descendente", advertiu.

A líder do CDS salientou ainda que a agência de notação financeira referiu-se à "diminuição do desemprego", relacionando-a com a reforma laboral, e disse ser "positivo que o Governo não tenha mexido na reforma laboral".

"Será bom que continue a dar estabilidade a esta reforma", frisou.

Assunção Cristas considera que este é o resultado de um trabalho de seis anos, defendendo que não houve qualquer fim da austeridade, que deu lugar, pelo contrário, a uma "austeridade encapotada, nos impostos indirectos, na degradação da qualidade dos serviços públicos".

"Na área da saúde e da educação há muita gente que nos pede para sermos agora a voz audível das situações que se passam no terreno, e que nos dizem ?agora nós não podemos falar', porque são apoiantes do Governo, ?falem vocês'. Oiço muitos comentários de que nunca esteve tão mal nem no tempo da ?troika'", afirmou.

A agência de notação financeira Standard and Poor's decidiu na sexta-feira tirar Portugal do 'lixo', revendo em alta o 'rating' atribuído à dívida soberana portuguesa de 'BB+' para 'BBB-', um primeiro nível de investimento.

Com esta revisão em alta para 'BBB-', com perspectiva 'estável', Portugal volta a ter uma notação de investimento, atribuída por uma das três principais agências de 'rating' mundiais.

Desde 2012 que a agência atribuía à dívida soberana portuguesa um rating 'BB+', a nota mais elevada de não investimento, com uma perspectiva 'estável'.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Estes direitolas
    16 set, 2017 Cas 17:55
    Não largam a hipocrisia! Os portugueses darão a resposta que estes figurões merecem!..
  • Que latosa!
    16 set, 2017 Lx 17:50
    Empobreceram o país, chamaram piegas aos portugueses, cortaram rendimentos, mandaram emigrar, destruiram familias e empresas, legislaram contra a Constituição, atacaram os juízes do Tribunal Constitucional, não atingiram os valores orçamentais, apesar de oito orçamentos rectificativos, etc, etc e agora querem os louros? Só podem enganar os que não estiverem no seu perfeito juízo!
  • Nazaré
    16 set, 2017 Porto 17:01
    O Relvas tem saudades do Portas e não vai com a cara da Cristas. Diz: que o Costa é perseverante, prefere o estilo do Sócrates, o Passos foi o melhor 1º ministro que conheceu, quer voltar à politica, está mais elegante e mais rico, gosta muito do Rui Rio que com o Rangel gostava de ver na comissão politica do PSD. Será que ainda pensa que pode ser levado a sério? Infelizmente a politica gera estas aberrações que nos corredores do poder conseguiram arranjar forma de olhar pela vida, e de que maneira......
  • Hugo Lima
    16 set, 2017 Lisboa-Marvila 14:55
    Dois governos? O da PAF só cavou o buraco ainda mais. Se não tivesse sido a união da esquerda estavamos a falar alemão por estes dias.
  • rancisco
    16 set, 2017 lisboa 14:39
    que oportunista e sem vergonha que esta tipa manifesta ser.... Um pouco de pudor nas ventas não era mal para ninguém.
  • BARSANULFO
    16 set, 2017 alcains 13:43
    Então vejamos. Ela, a Cristinha esganiçada, foi uma ministra das couves, pepinos, tomates, alfaces, sardinha e carapau, muito poupadinha. Estou a recordar-me daquela sua medida histórica, patriótica, de ordenar á rapaziada do ministério para deixar de usar gravata, por forma a poupar na factura da EDP com a energia do ar condicionado. Agora que ela também era artista cómica..... desconhecia-lhe tal faceta. Diz que é trabalho de dois governos... AHHAAHAHAHAHAHAH