O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Associação de forcados exige "mais respeito" e lamenta morte de forcado na Moita

16 set, 2017 - 12:29

Fernando Quintela morreu este sábado numa unidade hospitalar em Lisboa, na sequência de uma colhida provocada por um touro, na sexta-feira à noite, na praça de touros da Moita do Ribatejo, concelho da Moita.
A+ / A-

A Associação Nacional de Grupos de Forcados (ANGF) lamentou este sábado a morte do forcado dos Amadores de Alcochete, Fernando Quintela, de 26 anos, exigindo "mais respeito" e recursos médicos nas enfermarias das praças de toiros.

"As enfermarias [praças de toiros] têm que estar devidamente apetrechadas com suportes, mesmo à porta, para este tipo de casos (colhidas). Era importante ter logo ali um veículo que estabilizasse o forcado", defende o dirigente da ANGF, José Luís Gomes, em declarações à agência Lusa.

Nos últimos 30 anos morreram oito forcados amadores nas arenas nacionais, segundo o dirigente da ANGF, que considera ainda "importante" olhar para o futuro do espectáculo "com mais profissionalismo", nomeadamente em relação às enfermarias das praças de toiros e aos honorários a receber pelos grupos.

"Cada vez mais, os empresários têm que ter mais respeito pelos forcados", afirmou, acusando muitos promotores de evitarem pagar honorários aos grupos.

Nesse sentido, o dirigente da ANGF exige "mais respeito" pela "figura e importância" do forcado amador.

Fernando Quintela morreu este sábado numa unidade hospitalar em Lisboa, na sequência de uma colhida provocada por um touro, na sexta-feira à noite, na praça de touros da Moita do Ribatejo, concelho da Moita.

O jovem forcado pegava de caras um touro pertencente à ganadaria de Prudêncio, com 530 quilos.

Fernando Quintela foi transportado para o Hospital de São José, em Lisboa, onde veio a falecer durante a madrugada.

A morte de Fernando Quintela ocorre nove dias depois da do forcado Pedro Miguel Primo, dos Amadores de Cuba, que perdeu a vida na sequência também de uma grave colhida sofrida na praça de toiros daquela vila do distrito de Beja.

O acidente que vitimou Fernando Quintela ocorreu na última corrida de toiros inserida na Feira Taurina da Moita do Ribatejo, num concurso de ganadarias onde foram lidados toiros de Murteira Grave, Ascensão Vaz, Prudêncio, António Silva, Fernandes de Castro e Veiga Teixeira.

Em praça estiveram os cavaleiros João Moura Jr., João Telles Jr. e Francisco Palha, bem como os forcados de Évora e Alcochete.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lourenco
    17 set, 2017 Colmeias 09:07
    Lamento o falecimento do forcado. Como já disseram anteriormente, à partida quando vão para uma arena, todos estão cientes do perigo, se vão é porque querem. Acabem mas é com as touradas e deixem de maltratar os animais. Leiam uns livros, vão ao cinema, aproveitem a vida.
  • José António Antunes
    17 set, 2017 Parede 01:31
    É sempre triste a morte de um jovem, mas ainda mais triste, é insistirem em tradições que ceifam vidas humanas e torturam animais.
  • Jo
    17 set, 2017 Lisboa 01:30
    Todos os ganadeiros que fornecerem touros com mais de 450 kgs, devem ser acusados de homicidio voluntário. Vivemos num país absurdo e ridículo, vejamos, se um polícia de trânsito apanhar um forcado a chegar de mota à praça de touros sem capacete, é multado, porque não se protege contra o perigo de um possível, (quase teorico) acidente de viação, hehehehehehe e se for de carro é multado se não tiver o cinto de segurança "para se proteger", numa obra é obrigado a usar capacete, luvas, colete, sapatos com ponteiras de aço, etc, etc, ISTO É ABSURDO! Dentro da praça de touros, não se aplica a Constituição Portuguesa? Não se aplicam as Leis da República? Aquilo é o quê? Um bantustão dentro de Portugal? Ou um enclave de Marrocos ou da Mauritânia? Hahahahahahhaha Haja vergonha! Quem ganha dinheiro à custa dos forcados, que vende bilhetes para outros cidadãos verem um cidadão a levar porrada de um animal em pleno século XXI, QUE NÃO SE PODE ESQUIVAR OU FUGIR, SENÃO É VAIADO, tem de levar pancada do boi, porque é para isso que os espectadores pagam um bilhete!! Façam Rodeos, brinquem com touros pequenos, não os façam sangrar, MODERNIZEM-SE PÁ! Para quê espetar ferros no bicho? Mesmo sem ferros ele corre atrás dos toureiros....Modernizem-se e paguem aos forcados cambada de avarentos!
  • xico
    16 set, 2017 lixa 22:48
    Já era mais que tempo de acabar com estas lides com touros.Dediquem-se a outra coisa e deixem os animais em paz.
  • Filipe
    16 set, 2017 évora 21:57
    Desde muito tempo que os sucessivos governos apoiam as famílias dos touros e toradas com incentivos milionários a fundo perdido . Por outro lado , as recentes mortes é produto da falta de legislação proibitiva desses espetáculos monstros . Até porque não sei a razão de ainda não terem inventado algo semelhante como o arpão que utilizam e espetam nos touros até à coluna os fazendo sofrer e sangrar durante horas , por algo que ao toque se agarre tipo mola ao pelo e pele do animal permanecendo fixo sem ferir . A tecnologia avançou muito e os Catedráticos das Universidades Portuguesas era tempo de terem já inventado algo que até é fácil de conseguir .
  • 16 set, 2017 20:16
    Condolencias a familia do forcado falecido. Por favor digam-me de onde vieram esses 99%
  • fanã
    16 set, 2017 aveiro 17:30
    Incondicional opositor a este tipo de barbaridade , só posso afirmar que o que morreu sabia do risco ao qual se expunha , um animal martirizado sadicamente , reage em defesa ..............NORMAL !
  • Fausto
    16 set, 2017 Lisboa 17:13
    Uma situação triste...eu tinha igualmente pena do touro se tivesse morrido na arena...não desprezando a importância da vida humana...mas comentários do ainda bem é bem feito...vocês às vezes são mesmo umas cabeças ocas...
  • ana
    16 set, 2017 lisboa 16:55
    Até quando vamos ouvir notícias destas de jovens mortos na arena, em 10 dias foram 2. Eu deixo uma questão a esta associação de forcados, acham mesmo que a vossa vida vale assim tão pouco para arriscarem morrer nos cornos de um touro? É que vida só há uma, perdê-la desta forma, deixar família, amigos para sempre a pegar um touro não é um acto heróico é um acto inconsequente, acabem de vez com as touradas. Que a morte dos jovens falecidos sirvam de reflexão a quem quer continuar com isto. Condolências á família, paz ás almas que partiram
  • Carlos Costa
    16 set, 2017 Santarem 15:43
    Sentidas condolências à família do forcado falecido!!!!