O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Polícia inglesa detém suspeito de estar ligado ao ataque de Parsons Green

16 set, 2017 - 11:14

Autoridades garantem que investigação continua e que o nível de ameaça continua crítico.
A+ / A-

A polícia britânica anunciou a detenção de um jovem de 18 anos suspeito de estar ligado ao atentado na estação de metro de Londres Parsons Green.

"Fizemos esta manhã uma detenção importante no decorrer da investigação", anunciu o responsável pela Unidade de Contra-Terrorismo, acrescentanto que "apesar de estarem satisfeitos com os progressos que têm sido feitos, a investigação continua e o nível de ameaça continua crítico".

A detenção do suspeito foi feita da parte sul da zona portuária de Dover.

Sexta-feira de manhã um engenho explosivo deflagrou no interior de um comboio na estação de Parsons Green. Pelo menos 29 pessoas ficaram feridas, algumas com queimaduras, outras ficaram feridas quando se gerou o pânico entre a multidão, na tentativa de fugirem do local.

Desde o início do ano, só no Reino Unido, morreram 31 pessoas vítimas de ataques terroristas. Em Março, foi o atentado na ponte e palácio de Westminter. Dois meses mais tarde, registou-se uma explosão na Arena de Manchester no final do concerto de Ariana Grande. Em Junho, registaram-se outros dois ataques: a 3 de Junho junto à London Brigde e Mercado de Borough e depois, no dia 19, na Mesquita de Finsbury Park. Às 31 vítimas mortais, acrescenta-se a morte de cinco atacantes que morreram durante os ataques.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alexandre
    17 set, 2017 Lisboa 10:12
    Este suspeito esteve sob custódia da polícia britânica, vinte dias antes. A sinistra mulher-polícia e chefe de todas esta operação falsa (com o fim de ajudar Theresa May no poder), chamada Cressida Dick, é conhecida por estar também por detrás da operação que matou Charles de Menezes, em 2005.