O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Primeira Liga

Vasco Seabra. Paços também já teve motivos de queixa

15 set, 2017 - 23:48

O treinador do Paços de Ferreira admite que não viu o lance do golo anulado ao V. Setúbal, na vitória dos "castores", por 1-0, mas destaca que a sua equipa é justa vencedora.
A+ / A-

O treinador do Paços de Ferreira, Vasco Seabra, não viu o lance do golo anulado ao Vitória de Setúbal, no entanto, defendeu, esta sexta-feira, que a sua equipa mereceu vencer o jogo diante dos sadinos.

Ao minuto 49, com o jogo empatado a zeros, Gonçalo Paciência tentou a sua sorte de fora da área. A bola foi à figura do guarda-redes Mário Felgueiras, mas o guarda-redes largou-a e, antes de conseguir recuperá-la, esta terá passado a linha de golo. O árbitro parou o jogo, conferiu com o vídeo-árbitro e o golo foi anulado. Pouco depois, o Paços marcou.

No final da partida, em declarações à SportTV, Vasco Seabra, que celebrou o aniversário com a primeira vitória da sua equipa, admitiu não ter visto o lance, contudo, considerou que, a dar golo, teria sido injusto:

"Não tenho oportunidade de ver, estou do lado perfeitamente oposto. Sei é que nós também já tivemos lances em que sentíamos que se calhar a justiça era de outra forma. Eu não faço ideia daquilo que o lance foi. Sei que essa provavelmente foi a melhor oportunidade de golo do Setúbal, que foi um lance praticamente fortuito."

"O que eu sei é que a minha equipa se agarrou a si mesma, com muita vontade de vencer o jogo. Venceu e agora quer caminhar com mais vitórias, com mais passos seguros e com mais crescimento", sustentou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.