O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Passos quer ser primeiro-ministro em 2019

15 set, 2017 - 23:26

Líder social-democrata “gostava de receber uma herança melhor do que a que deixei em 2015”.
A+ / A-

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, garante que tenciona voltar a ser primeiro-ministro em 2019 e que espera, nessa altura, receber "uma herança melhor" do que a deixou em 2015.

"Nós no PSD deixámos aos portugueses uma herança bem melhor do que a que recebemos em 2011 e eu, que tenciono ser primeiro-ministro em 2019, também gostava de receber uma herança melhor do que a que deixei em 2015", afirmou, num jantar autárquico de apoio ao candidato do partido em Mafra, o actual presidente da Câmara, Hélder Sousa Silva.

Numa referência implícita ao actual executivo, Passos Coelho disse que os sociais-democratas sabem "observar o comportamento mais oportunista" dos que estão a aproveitar o trabalho que PSD e CDS fizeram no Governo.

"Mas, como não somos invejosos não levamos nada a mal que o país beneficie desse trabalho", ironizou o líder do PSD, que falava antes de ser conhecida a decisão da agência de notação financeira Standard and Poor's (S&P) de retirar Portugal do 'lixo', revendo em alta o 'rating' atribuído à dívida soberana portuguesa de 'BB+' para 'BBB-', um primeiro nível de investimento.

O líder do PSD acusou o actual Governo de ter "deixado cair a máscara", apontando o dedo a vários ministros, incluindo os das Finanças e da Justiça, por agora invocarem restrições económico-financeiras para não satisfazer pretensões de classes profissionais como os enfermeiros ou os juízes.

"Parece que à medida que nos vamos aproximando da segunda parte da legislatura de repente os membros do governo começaram a descobrir que há limitações económico-financeiras? As restrições existiram sempre, o governo é que as andou a esconder durante dois anos", criticou, num jantar que, segundo a organização, juntou mais de 2.000 apoiantes.

Passos Coelho sublinhou que, descontando a despesa com salários, o actual executivo gasta menos do que o anterior nas funções do Estado.

"Se descontarmos o aumento dos salários na função pública, o Estado tem hoje menos para gastar do que tinha quando eu era primeiro-ministro e, no dizer dos nossos adversários, éramos assim uma espécie de encarnação do mal", lamentou.

Sobre a disputa eleitoral do próximo dia 1 de Outubro, Passos Coelho destacou a tradição autárquica do PSD desde 1976.

"Orgulhamo-nos desde 76 de ter uma representação maior no panorama nacional, é por isso que desde 76 o PSD não corre o risco da marginalidade política no país", disse, recorrendo também à expressão "orgulho" para classificar o primeiro mandato de Hélder Sousa Silva em Mafra.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Luis
    16 set, 2017 Lisboa 19:42
    Eu então quero que ele emigre para bem longe e para sempre.
  • Lopes
    16 set, 2017 Cantanhede 17:55
    E saíres da tua zona de conforto e ires trabalhar um dia na tua vida, ó pazinho?
  • fanã
    16 set, 2017 aveiro 17:35
    Oh....Coelhote , eu também queria ser tanta coisa............................mas isso requer competência para certos cargos , coisa que não tenho e tu muito menos !
  • Manuel bezerro
    16 set, 2017 portugal 15:17
    QUER SER ! Eu também queria muita coisa, sobretudo de muitas garinas que andam por aqui, mas claro, falta-me o pastel, pois tive o azar, ou falta de habilidade para ir para a politica, onde podia arranjar milhões de um dia para o outro e massa é o que elas querem. ESTE PASSOS COELHO NÃO SERÁ UM BACADINHO INFANTIL, OU TONTO ?
  • Augusto
    16 set, 2017 Lisboa 13:00
    Em 2019 já o PSD lhe pôs uns patins....
  • Cidadao
    16 set, 2017 Lisboa 12:20
    Querer, até pode querer. Quem não quer, somos nós. Aliás, duvido até que em 2019 ainda seja o lider do PSD, e nesse caso, quannto muito concorre a deputado. Está politicamente morto há muito e até lá, alguém no PSD há-de perceber que consigo, o PSD não vai a lado nenhum e mostram-lhe a porta de saída.
  • ZEZE CAMARINHA
    16 set, 2017 PORTIMAO 12:07
    UM DAS CALDAS COMO PRENDA
  • Marco Almeida
    16 set, 2017 Olhão 11:40
    Em 2119 pode ser que te safes, até lá podes arranjar um trabalho e começar a trabalhar que foi coisa que nunca fizeste na vida, sai da tua zona de conforto que é o tacho do partido e faz alguma coisa por esse corpo abaixo e deixa a tugalhada em paz que a malta já não te pode ouvir, nem os teus colegas de partido te gramam
  • isidoro foito
    16 set, 2017 elvas 11:30
    este senhor mentiroso compulsivo está mesmo a precisar de um bom medico psiquiatra, porque ele está muito doente
  • João Lopes
    16 set, 2017 Viseu 11:20
    A geringonça social-comunista não vai durar sempre. Muitos portugueses estão a descobrir que foram enganados: há muitos mais impostos indiretos, as cativações no Estado são muito grandes e afetam a qualidade dos serviços públicos (veja-se a saúde) e a despesa pública escondem-na, mas é cada vez maior…