O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Arbitragem

Jorge Sousa, pé esquerdo de craque

14 set, 2017 - 11:00

Juiz portuense falou à Federação Portuguesa de Futebol. Iniciativa, num formato descontraido, repete o que já tinha sido feito com Artur Soares Dias.
A+ / A-

Jorge Sousa revela, aos 42 anos, que já foi craque. Aquele que é um dos principais árbitros portugueses falou aos canais de comunicação da Federação, numa iniciativa do Conselho de Arbitragem que já foi feita em relação a Artur Soares Dias.

"Gostava muito de jogar futebol e ainda hoje, de vez em quando, faço isso. Era lateral ou médio esquerdo. Tinha um pé esquerdo fantástico que não foi aproveitado pelos treinadores e o futebol ficou a perder, porque passei ao lado de uma grande carreira que não devia ser desaproveitada", diz, numa entrevista descontraída, na qual acrescenta que a razão para ter entrado na arbitragem foi a possibilidade de ver futebol "à borla".

"Comecei a jogar aos 12 anos, no Aliados de Lordelo, antes de, aos 17, ser desafiado por um colega a tirar um curso de árbitros. Se queríamos ir ver futebol, tínhamos de pagar e, assim, surgiu a aliciante de tirar o curso porque, no final da época, tínhamos um cartão de livre-trânsito que nos permitia ver os jogos gratuitamente. Mesmo nesse curso nunca me passou pela cabeça ser árbitro. Depois, desafiaram-nos a continuar. Fiz dois ou três jogos, o 'bichinh'o ficou, o futebol ficou para trás e a arbitragem passou para a frente", conta.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.