O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
D. António Francisco dos Santos (1948-2017)

Cinco mil pessoas no funeral do bispo do Porto, “incansável servidor do Evangelho”

13 set, 2017 - 15:17

Papa destaca o pastor “afável” e “generoso” numa mensagem lida durante as cerimónias fúnebres.
A+ / A-
Centenas de pessoas no funeral do bispo do Porto, “incansável servidor do Evangelho”
Centenas de pessoas no funeral do bispo do Porto, “incansável servidor do Evangelho”

Leia a opinião de D. Manuel Clemente:


Cinco mil pessoas, segundo os números da Polícia Municipal do Porto, marcaram presença nas cerimónias fúnebres de D. António Francisco dos Santos, esta quarta-feira, na Sé do Porto. O bispo do Porto foi sepultado numa cripta na capela de São Vicente, nos claustros da Sé.

“Tendo sabido da morte inesperada de D. António Francisco dos Santos, o Papa Francisco deseja expressar o seu pesar e a sua solidariedade à comunidade diocesana do Porto, bem como aos familiares em luto e a todos quantos beneficiaram do serviço deste pastor afável, generoso”, afirmou o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, através de uma mensagem lida durante as cerimónias.

O Papa classifica D. António Francisco dos Santos como um “incansável servidor do Evangelho e da Igreja”, associando-se “em espírito” às cerimónias fúnebres.

A missa fúnebre foi presidida por D. Manuel Clemente, actualmente patriarca de Lisboa, a quem D. António sucedeu na sé do Porto.

Na homilia, D. Manuel sublinhou os muitos depoimentos elogiosos que têm sido feitos a propósito da sua morte. "Todos aliam sentimentos de admiração e já saudade pela sua grande figura pessoal, eclesial e social que entre nós viveu e conviveu, pois grande era a sua capacidade de estar com os outros", disse. "Se em boa parte somos o que os outros nos fazem ser, grande vantagem foi termos podido desfrutar da sua palavra, presença e generosidade."

D. António Francisco dos Santos foi, diz o patriarca de Lisboa, sem hesitação, "rosto e gesto de Cristo" e verdadeiro "bom pastor", no "sentido cristão de quem dá a vida pelas suas ovelhas".

"Lembro-me de quando veio falar comigo quando veio para o Porto, hesitante em aceitar o cargo. Estava feliz e realizado em Aveiro e tinha receio de não ser capaz. Foi capaz, capacíssimo, e no essencial foi próximo e amigo. Não faltaram dificuldades, mas nenhuma lhe endureceu o espírito e o trato. Fisicamente o coração pode parar. Espiritualmente, isto é, realmente, continua connosco no coração de Deus e de Cristo o nosso bom pastor. Muito obrigada caríssimo irmão e amigo", concluiu o Patriarca.

Leia aqui a homília de D. Manuel Clemente na íntegra.

D. António Francisco dos Santos morreu esta segunda-feira, aos 69 anos, vítima de enfarte agudo do miocárdio, na Casa Episcopal do Porto, onde residia.

Na sua primeira homilia como bispo do Porto, em 2014, disse: "Os pobres não podem esperar”. Na última, este sábado, em Fátima, defendeu a construção de uma "igreja bela, como uma casa de família".

[Notícia actualizada às 17h54]

D. António Francisco dos Santos. O bispo do diálogo e "sem planos prévios"
D. António Francisco dos Santos. O bispo do diálogo e "sem planos prévios"
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Eduardo Fernandes
    13 set, 2017 Vila Nova de Gaia (Lamego) 19:04
    Adeus meu grande amigo. Sei que virás sempre em meu apoio com aquelas palavras esclarecidas, que curam, que aliviam, inspirado pelo Espírito Santo. A tua memória será o o meu auxílio. Com muita saudade, havemos de nos encontrar e aí será aquele abraço forte, o encostar de cara, que estou a sentir neste momento.
  • rosinda
    13 set, 2017 palmela 15:34
    Descanse em paz senhor bispo!