O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

​Bloco abre porta a maioria de esquerda em Lisboa

11 set, 2017 - 11:27 • Cristina Nascimento

Ricardo Robles diz que o BE está disponível para participar num executivo de esquerda em Lisboa. Revelação foi feita durante o debate da Renascença com os seis principais candidatos à câmara da capital.
A+ / A-
Bloco abre porta a maioria de esquerda em Lisboa
Bloco abre porta a maioria de esquerda em Lisboa

O Bloco de Esquerda (BE) mostra-se disponível para um entendimento entre esquerdas em Lisboa. Esta segunda-feira, no debate na Renascença com os seis principais candidatos à câmara da capital, Ricardo Robles garante que o Bloco está disponível “para uma viragem à esquerda”.

O bloquista foi, no entanto, o único a admitir desde já este entendimento. O socialista Fernando Medina, actual presidente da autarquia, questionado sobre se seria possível em Lisboa um acordo semelhante ao que sustenta no Parlamento o Governo de António Costa, Medina limitou-se a dizer que os “cenários pós-eleitorais devem ficam para os analistas”. “Este é o momento de a cidade escolher quem quer”, disse Medina.

Na mesma linha, também o candidato do PCP João Ferreira garante que nesta altura não se deve “antecipar os resultados”. “Agora é tempo de os eleitores escolherem”, disse, lembrando a experiência do partido na gestão autárquica. “O programa que apresentamos é uma alternativa”, acrescentou.

Perante esta hipótese, Assunção Cristas, a líder do CDS que se candidata à autarquia da capital, garantiu que ela será a melhor opção a Lisboa, “visto todos estarem prontos a unirem-se a Fernando Medina”.

Quanto a Teresa Leal Coelho (PSD), a candidata questionou Medina se tem disponibilidade para dialogar com o PSD, em caso de vitória social-democrata. A pergunta ficou sem resposta.

Já Inês Sousa Real, do Pessoas–Animais–Natureza, lembrou que uma mulher nunca ocupou o cargo de presidente da Câmara de Lisboa e que agora seria uma boa oportunidade para tal acontecer.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • mesma farinha
    12 set, 2017 Santarém 22:51
    Já agora giringoncem por todo o lado!
  • Eborense
    11 set, 2017 Évora 16:40
    Gosto muito de Lisboa, mas ainda bem que não moro lá, porque assim estava sujeito a levar com duas geringonças. Livra!
  • tuga
    11 set, 2017 Lisboa 13:59
    Este grupelho nem no seu Santuário (Cova da Moura) vai longe, tem de se encostar a alguém para chegar ao tacho, com o PS já agora o PCP podem abrir em Lisboa centros de dia para lésbicas, pretos, gays, infantários para os meninos adoptados pelos casais gays e no recinto da festa do avante promoverem casamentos entre lésbicas e gays. VOTO meu NUNCA nem neles nem em nenhum partido do sistema.
  • Fernando Maurrício
    11 set, 2017 Lisboa 12:35
    A sede pelo poder fascina e corrompe!