A+ / A-

Francisco encontra-se com vítimas de ambos os lados da guerra civil da Colômbia

08 set, 2017 - 07:56 • Aura Miguel

Em Villavicencio, o Papa vai dirigir-se a mais de seis mil vítimas da violência, incluindo soldados, agentes da polícia e ex-guerrilheiros.
A+ / A-

Veja também


Reconciliação é a palavra de ordem desta sexta-feira, na visita do Papa à Colômbia.

Num país dilacerado por 50 anos de guerrilha, ódio e violência, com tantas vítimas e feridas ainda abertas, Francisco vai esta sexta-feira a Villavicencio para mais um passo na consolidação do tão desejado percurso de paz e reconciliação nacional.

Quando aterrou em Bogotá, na passada segunda-feira, esta realidade marcou presença no aeroporto, com um grupo de 50 militares e polícias mutilados, muitos deles em cadeira de rodas, vítimas de minas que explodiram durante operações de resgate de sequestrados.

Ao vê-los, o Papa desviou-se da passadeira vermelha e saudou esses militares e agentes da Força Pública, quase todos entre os 30 e 40 anos, dizendo-lhes que “é preciso começar pelo perdão e reconciliação”. Esta sexta-feira Francisco vai aprofundar este tema, tão decisivo para o futuro da Colômbia, com um encontro de reconciliação nacional, com a presença de seis mil vítimas da violência, militares, agentes da polícia e ex-guerrilheiros.

O dia começa com a beatificação de dois mártires: o bispo Jaramillho Monsalve, sequestrado e assassinado em 1989, e o sacerdote Pedro Ramirez Ramos, vítima de linchamento junto à sua paróquia, também por ódio à fé, em 1948.


A Renascença acompanha em permanência a visita do Papa à Colômbia. Siga em directo e acompanhe as transmissões vídeo em directo.

A Renascença na Colômbia com o Papa Francisco. Apoio: Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Papa cita García Marquez na Colômbia. "Perante a opressão, a resposta é a vida"
Papa cita García Marquez na Colômbia. "Perante a opressão, a resposta é a vida"

guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.