O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

​Inês Henriques à Renascença: “Nos últimos 200 metros já estava a chorar”

13 ago, 2017 - 15:34

“Não posso pedir mais. Foi um dia fantástico. É a recompensa de 25 anos de trabalho”, afirma a campeã do mundo dos 50 quilómetros marcha.
A+ / A-
Inês Henriques de ouro. A atleta "trabalhadora" que fez história na marcha feminina
Inês Henriques de ouro. A atleta "trabalhadora" que fez história na marcha feminina

Esforço, entrega e lágrimas. Muitas lágrimas. Foi assim que Inês Henriques descreveu à Renascença a vitória nos 50 quilómetros marcha nos Mundiais de Atletismo, que decorrem em Londres.

“É indiscritível, sem dúvida nenhuma. Nos últimos 200 metros eu já estava a chorar, porque não estava a acreditar que tudo aquilo era possível e chorei muito no final”, conta a atleta portuguesa.

“Eu consegui cumprir todos os objectivos traçados para esta prova, que era ser campeã do mundo, bater o recorde do mundo e fazer menos de 4 horas e seis minutos, que era o mínimo que eles exigiam para os homens”, sublinha Inês Henriques.

A marchadora destaca o facto de ter retirado dois minutos e meio ao recorde do mundo.

“Não posso pedir mais. Foi um dia fantástico. É a recompensa de 25 anos de trabalho”, conclui Inês Henriques.

A portuguesa Inês Henriques conquistou este domingo a medalha de ouro na prova dos 50 quilómetros marcha dos Mundiais de Atletismo, que decorrem em Londres.

Além do lugar mais alto do pódio, a marchadora bateu o recorde do mundo da distância que já estava em seu poder.

Inês Henriques estabeleceu um novo máximo de 4.05.56 horas, tirando dois minutos e 29 segundos ao recorde anterior.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EUGÉNIO BAPTISTA
    13 ago, 2017 COVILHÃ 18:26
    Congratulo-me e estou mesmo emocionado com este feito de uma atleta portuguesa neste mundial. Os meus sinceros parabéns, pois é uma modalidade que muito admiro a todos os níveis; já fui atleta amador na minha juventude, e, e, sei os sacrifícios e não só que custam para atingir objectivos. É uma modalidade que não tem a projecção de outras, mas certamente para mim terá mais valor. Claro que agora "chovem" os elogios de toda a parte, mas certamente desconheciam completamente esta Inês que fez brilhar a bandeira portuguesa no alto do pódio. Obrigado pela alegria que nos deu.
  • costa
    13 ago, 2017 Faro 18:14
    Muitos parabéns pequena, tenho orgulho em ser seu compatriota.