O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

​Sábado foi o pior dia do ano com 268 incêndios

13 ago, 2017 - 09:12

Desde as 00h00 deste domingo registaram-se 62 incêndios florestais, a maior parte durante a noite.
A+ / A-

Veja também:


Sábado foi o pior dia do ano com 268 incêndios, avança a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC). No dia anterior tinham sido registados 220 fogos.

Os incêndios de sábado foram combatidos por 6.553 operacionais, 1.762 veículos e 103 missões com meios aéreos, disse em conferência de imprensa Patrícia Gaspar, adjunta de operações da ANPC.

“O dia de ontem, sobretudo a partir do final da tarde e à noite, foram horas difíceis em diversos pontos do país, mas com alguma concentração na zona Centro: Coimbra, Leiria e Santarém.”

Desde as 00h00 deste domingo registaram-se 62 incêndios florestais, a maior parte durante a noite.

Pelas 9h00 deste domingo havia seis fogos de maior dimensão e complexidade, na Mealhada, distrito de Aveiro; Alvaiázere, em Leiria; Ferreira do Zêzere e Tomar, em Santarém; Torres do Mondego, em Coimbra; e Louriçal do Campo, em Castelo Branco.

Em resposta ao pedido de ajuda de Portugal, Espanha vai enviar dois módulos da unidade militar de emergência e dois aviões, anuncia Patrícia Gaspar.

"Neste momento, toda a ajuda será bem-vinda", afirma a adjunta de operações da Protecção Civil.

Cerca de 500 militares portugueses estão envolvidos nas operações de auxílio e apoio.

As previsões meteorológicas para este domingo apontam para a continuação de temperaturas elevadas e índices de humildade relativa muito baixos.

Um grupo de bombeiros da Trafaria sofreu, no sábado, ferimentos ligeiros quando combatiam um incêndio de Abrantes, no distrito de Santarém.

A Protecção Civil alerta a população para evitar comportamentos de risco nas zonas florestais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ó victor
    13 ago, 2017 lis 19:21
    Você se não fosse maledicente o que é que gostaria de ser?
  • Rui
    13 ago, 2017 Lisboa 12:38
    6.553 operacionais, 1.762 veículos e 103 missões com meios aéreos, isto é uma guerra no nosso próprio território.
  • Os incendiários
    13 ago, 2017 Lx 12:16
    Continuam à solta!...Bandidos e terroristas!
  • Victor
    13 ago, 2017 Lx 11:10
    Austeridade, incompetência, boys e xuxalismo que o PCP/BE agora engolem e consentem!
  • Portugues
    13 ago, 2017 Porto 09:58
    LIMPEM OS TERRENOS SEUS FILHOS DA PAUTA. Ainda ontem parolos á volta das suas vivendas enormes e á volta terreno cheio de silvas e mato. Teem dinheiro para ostentação em casas que nem sabem usar e nao teem dinheiro para pagar a limpeza dos terrenos á volta das vivendas. Parolos rudes e iletrados com vivendas enormes sem uso e nao querem gastar meia dúzia de euros hora para li par a trampa que nos rodeia. NAO TENHO PENA NENHUMA.
  • Jorge
    13 ago, 2017 Portimão 09:43
    NÃO TENHO DÚVIDA NENHUMA QUE "UM INCÊNDIO QUE COMEÇA À NOITE" TEM ORIGEM CRIMINOSA! Temos a "justiça" que temos ... Os "incendiários detidos" são postos em liberdade ... Admiram-se do que nos está a suceder? EU NÃO! INFELIZMENTE!