O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

​Sexta-feira foi o dia do ano com mais incêndios

12 ago, 2017 - 09:27

Alerta laranja prolongado até ao final de segunda-feira, devido às condições climatéricas que podem favorecer a ocorrência de incêndios.
A+ / A-

Sexta-feira foi o dia com mais incêndios do ano, com um total de 220 ignições, avança a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).

O distrito do Porto foi o mais afectado, com 60 fogos, seguido de Coimbra com 24, Santarém e Lisboa com 19 e Braga com 18, avançou este sábado de manhã Patrícia Gaspar, adjunta de operações da ANPC, em conferência de imprensa.

O estado de laranja vai ser prolongado até ao final de segunda-feira, devido às condições climatéricas que podem favorecer a ocorrência de incêndios.

Mantém-se a previsão de tempo seco, temperaturas elevadas e de vento, “que tem sido um dos principais inimigos do combate às chamas”, refere Patrícia Gaspar.

Pelas 9h00 deste sábado, havia dez incêndios em curso. Os de maior dimensão são os de Abrantes, distrito de Santarém; e Alvaiázere, no distrito de Leiria.

Em relação ao fogo de Abrantes, Patrícia Gaspar refere que a situação está “estabilizada”, mas todos os meios continuam no terreno.

Dois aviões de combate a incêndios Canadair vão juntar-se este sábado a um aparelho marroquino que está a ajudar as autoridades portuguesas.

A adjunta de operações da ANPC, Patrícia Gaspar, também confirmou algumas falhas na rede de comunicações de emergência SIRESP, que estão a ser colmatadas por outras redes e redundâncias.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • mendes
    12 ago, 2017 braga 13:18
    a minha pergunta e esta --o que seria de portugal sem os incendios --a minha resposta e esta --seria um pais morto porque os incendios estao a ser uma autententica festa uma grande empresa que esta a dar trabalho e a enriquecer muita gente que esta a dar votos aos politicos e infelizmente ate aos construtores de caixoes e coveiros tem dado trabalho so os burros e os espertos e que acreditam que os fogos nao teem mao criminosa mas essa mao criminosa nao e de nenhum pobre coitado mas sim de engravatados perguntem ao vosso 1 ministro e digo vosso porque nao o conssidero meu porque motivo acabou com os guardas florestais e com os cantoneiros
  • 12 ago, 2017 aldeia 11:31
    Portugal arde todos os anos,será que há tantos incendiários ou descobriu-se o negócio do fogo?É tempo de pôr fim a esta situação.