O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Incêndio de Alvaiázere continua a avançar

12 ago, 2017 - 00:34

São quatro as frentes activas e a A13 está cortada entre os nós de Alvaiázere e Cabace.
A+ / A-

O incêndio que deflagrou às 19h40 de sexta-feira em Alvaiázere, distrito de Leiria, tem uma das quatro frentes na direcção de Ferreira do Zêzere, distrito de Santarém, segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).

Este incêndio, segundo o oficial de operações e de emergências da ANPC, Pedro Araújo, levou já ao corte da Autoestrada do Pinhal Interior (AE13) entre os nós de Alvaiázere e Cabace.

A localidade mais próxima desta frente de incêndio é a de Covas do Souto e os bombeiros estão a trabalhar na defesa das aldeias que estão na linha do fogo.

Com quatro frentes activas em povoamento florestal, este incêndio está a ser combatido por 320 operacionais, com 99 meios terrestres.

A presidente da Câmara de Alvaiázere, Célia Marques, disse à agência Lusa que a situação na sua zona "está dominada", mas que uma das quatro frentes activas estão a deslocar-se para a localidade vizinha de Ferreira do Zézere, distrito de Santarém, onde uma aldeia já foi evacuada.

"Não estou em Alvaiázere, mas segundo me informaram, neste momento, o incêndio já passou para o concelho de Ferreira do Zêzere [distrito de Santarém]. No entanto, existem reacendimentos pontuais, o que nos preocupa. O cenário que se antevê desta noite não é calmo e sereno", disse à Lusa Célia Marques, pelas 23h40.

A autarca adiantou que em Alvaiázere nunca chegou a haver casas ou pessoas em risco.

"Segundo me disseram, a situação está mais complicada em Ferreira do Zêzere, onde já terão tido necessidade de evacuar uma aldeia", vincou.

O incêndio com quatro frentes activas, em povoamento florestal, deflagrou esta sexta-feira pelas 19h40 na localidade de Barqueiro, no concelho de Alvaiázere, distrito de Leiria.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.