O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

MEO culpa automatismo por multa a morto e dá três meses de borla a Pedrógão

27 jul, 2017 - 17:13

A operadora diz que está a tentar obter uma lista oficial de clientes que morreram nos incêndios, mas até agora sem sucesso.
A+ / A-

A MEO diz que foi “por uma questão de automatismo” que tentou cobrar uma multa por cancelamento de contrato a uma das vítimas mortais do incêndio de Pedrógão Grande, e que a situação já está resolvida.

O caso foi denunciado esta quarta-feira à imprensa pelo pai da vítima que pediu à MEO para cancelar o contrato do seu filho, para evitar os débitos directos. Em resposta recebeu indicação para pagar uma penalização de quase 140 euros por cancelar o contrato.

Numa nota enviada à Renascença, a operadora diz que se tratou de um lapso, que já foi resolvido, e esclarece que “a MEO não cobrará nem mensalidades nem penalização aos clientes que infelizmente faleceram nos incêndios em Pedrogão.”

A empresa também não vai cobrar aos “que viram as suas casas destruídas” naquele incêndio.

A MEO vai mesmo mais longe e diz que “adicionalmente e proactivamente a Administração da MEO decidiu inibir a facturação por 3 meses a todos os clientes que viram as suas habitações afectadas neste incêndio.”

Segundo a nota, a MEO tem estado a tentar obter “junto das entidades competentes” uma lista oficial “dos clientes que perderam a vida desta forma trágica, que perderam as casas ou ficaram com as suas habitações afectadas”, mas sem sucesso.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • eu
    28 jul, 2017 aqui 08:55
    É UMA VERGONHA....MULTEM ESTA GENTE, MAS Á SÉRIA, NÃO É MULTA DE MILHARES DE EUROS, ISSO ROUBAM ELES .... Gostava de pedir a alguém que saiba, para criar uma petição daquelas on-line, a PEDIR A MULTA (MILIONÁRIA) A TODAS AS OPERADORAS DE TV POR CABO POR CADA ABUSO CONFIRMADO.....e que espalhe a notícia pelo Face, por todos os meios que possibilitem a assinatura dessa petição.
  • ana
    27 jul, 2017 lx 18:52
    nem a quem morreu nos incendios, nem que morram doutras causas... nao vao passar as dividas pros filhso e afins.
  • FY3
    27 jul, 2017 S Teotonio 18:38
    A MEO e a empresa mais imoral que conheco. Quando o Governo obrigou as companhias de telecomunicacores a fidelizar contractos a menos de 24 meses. a MEO obedeceu. Mas cobra 750 Euros pela instalacao (que e gratis para 24 meses) o que torna qualquer contracto de menos de 24 meses muito mais caro que o de 24. O que ainda lhe permitem fazer e uma vergonha completa e uma manobria ignobil para se furtar ao espirito da lei. Que bergonha. E esta uma companhia Portuguesa? E o Estado nao faz nada??
  • ANTONIO GONCALVES FE
    27 jul, 2017 oeiras 18:16
    O estupido do analista de programação é que devia saber a lei e ordenar que o programador tivesse os factos em conta. Mas a empresa é a grande culpada porque dá aso a estes casos e não agiu em conformidade e não quis cuidar do seu nome, até lhe convém para os lucros
  • Fred
    27 jul, 2017 Lisboa 17:46
    Como é que a culpa é de um automatismo se foi enviada uma certidão de óbito? Fazem isto a todos os clientes que falecem? Estranho!