O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Cerca de 1.400 bombeiros combatem quatro fogos

18 jul, 2017 - 06:59

Chamas lavram em Alijó, Mangualde, Vila Nova de Foz Côa e Guarda.
A+ / A-

Nas primeiras horas da manhã desta terça-feira, cerca 1.400 bombeiros combatiam as chamas em vários incêndios no país.

O fogo de Alijó é o que concentra mais meios - 589 bombeiros, apoiados por 181 viaturas. Já em Mangualde estão concentrados 467 operacionais. Nestes dois fogos, as autoridades decidiram activar os respectivos planos de emergência municipal.

No distrito da Guarda,há dois incêndios a merecer preocupação. Em Rochoso, no concelho da Guarda, estão 306 bombeiros. Já em Murça, concelho de Vila Nova de Foz Côa, estão 39.

De acordo com Miguel Cruz, comandante operacional de Operações de Socorro, durante "foram registadas melhorias durante a noite", sendo que nesta altura, por exmeplo, o fogo em Alijó - para onde estão a ser encaminhados meios aéreos - já tem 80% do perímetro dominado. Quanto ao fogo em Mangualde mantém uma frente activa. Já no fogo em Rochoso, há duas frente activas. Neste caso, também estão a ser encaminhados meios aéreos para o local.

Fogo de Oleiros em resolução

O incêndio que começou pelas 15h51 de segunda-feira perto de Cavalinho, na freguesia de Mosteiro, Oleiros, está em fase de resolução. No local mantém-se quase 300 bombeiros.

As chamas fizeram com que, por precaução, tenham sido evacuadas algumas habitações, designadamente das localidades de Roqueirinho e Mosteiro, das quais foram retiradas cerca de duas dezenas de pessoas para a residencial de estudantes da vila de Oleiros, disse à agência Lusa o presidente da Câmara de Oleiros, Fernando Marques. Pelas 00h00 desta terça-feira permaneciam "apenas três pessoas na residencial", tendo as restantes sido acolhidas por familiares, adiantou o autarca.

De acordo com informação prestada pela GNR, não há neste momento qualquer estrada cortada devido a incêndios.

Os fogos levaram à activação do Plano de Emergência Municipal em Alijó e Mangualde.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), estão em risco ‘máximo’ de incêndio cerca de meia centena de concelhos dos distritos de Faro, Portalegre, Santarém, Coimbra Guarda, Bragança e Vila Real.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Portuga
    18 jul, 2017 Portulândia 07:35
    Atenção à foto da notícia. Os homens, bombeiros, seguram a agulheta da mangueira e dirigem a jato de água para onde? Claro que, pelo que se pode ver, para onde em segundos a água se transforma em vapor não tendo por isso qualquer acção na diminuição da temperatura, na redução da combustão do material lenhoso e altamente combustível. Porquê este modo de intervenção???????