O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

O dia em que Vaná foi ao Dragão e sonhou ser portista

17 jul, 2017 - 12:12

O primeiro reforço de verão do FC Porto revela que a ambição de "vestir as cores do clube" azul e branco é antiga. Quanto aos objectivos para a época, cita Sérgio Conceição.
A+ / A-

Jogar no FC Porto é um sonho que Vaná Alves já tinha há algum tempo, antes ainda de entrar no radar portista para a próxima época.

"O primeiro grande jogo a que assisti em Portugal foi no Dragão e nesse dia pensei logo que um dia gostaria de vestir as cores do clube. Felizmente aconteceu", regozijou o guardião, de 26 anos, esta segunda-feira, em declarações ao site do clube, durante o estágio no México.

“Estou muito feliz e muito grato a Deus por esta oportunidade. Acordar e poder sentir que tenho a oportunidade de representar um gigante europeu, e que isso não é um sonho, é uma sensação incrível. A primeira vez que eu fui ao Dragão o estádio encheu-me os olhos e agora que estou do lado de cá a felicidade é tremenda", admitiu o guarda-redes.

Entrar no radar azul e branco foi um sonho tornado realidade. “Quando surgiu a possibilidade, os meus olhos brilharam. Tinha muito boas referências do clube por causa do meu amigo Alex Sandro e do Helton, que jogava pelo clube que eu torço no Brasil", contou.

Vaná já jogou no Dragão, ao serviço do Feirense, dia em que assinou uma exibição para mais tarde recordar. "Em brincadeira com o pessoal, disse que ficava contente por agora estar do lado de cá, ter mais bola e estar do lado dos adeptos do FC Porto. É que tê-los contra nós é uma pressão enorme, pois criam um ambiente fantástico", reconheceu.

O reforço portista sabe que terá de se adaptar à realidade de ser guarda-redes de equipa "grande". “Jogar no Feirense e no FC Porto é diferente. Tenho consciência disso. É normal que no Feirense a bola chegue mais vezes à baliza e que haja mais acções. No FC Porto poderá chegar uma ou duas vezes, mas aí temos que ser eficazes", explicou.

Objectivos e concorrência entre os postes

Vaná espera corrida saudável pela titularidade. “Com toda esta concorrência quem tem a ganhar é o FC Porto. Temos uma lenda como o Iker Casillas, cujo nome fala por si, o José Sá, que é um guarda-redes de uma nova geração da selecção portuguesa, e o João Costa, que tem uma vida inteira no clube", explicou.

O primeiro reforço de verão dos dragões assumiu-se "muito honrado de fazer parte deste lote" de guarda-redes. Ainda assim, quando a sua oportunidade surgir, quer "estar preparado" para agarrá-la.

Quanto aos objectivos da época, Vaná mostrou-se em perfeita sintonia com o técnico azul e branco. “Vou usar uma frase do mister Sérgio Conceição: independentemente do jogo bonito ou não, o mais importante é conseguir vitórias e retomar o caminho dos títulos. Esse deve ser o pensamento de todos", considerou.

"Uma equipa como o FC Porto não pode estar sem títulos. Queremos retomar esse caminho e queremos isso mais do que tudo", garantiu. "Todas as competições que disputamos são para ganhar."

No imediato, porém, o intento de Vaná é outro: "Para já, o objectivo é adaptar-me o mais rápido possível."

Os dragões estreiam-se na Supercopa Tecate, no México, na madrugada desta segunda-feira, pelas 3h00, diante do Cruz Azul.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.