A+ / A-

​Margarida Marques sai dos Assuntos Europeus

13 jul, 2017 - 12:23 • Eunice Lourenço , Marina Pimentel , Susana Madureira Martins

Novos nomes do Governo são formalizados esta tarde na reunião entre o primeiro-ministro e o Presidente da República.
A+ / A-

Margarida Marques, actual secretária dos Assuntos Europeus, vai sair do Governo no âmbito da remodelação de secretários de Estado. Deverá ser substituída por Ana Paula Zacarias, mas confirmações oficiais só depois da reunião desta quinta-feira à tarde entre o primeiro-ministro e o Presidente da República, na qual serão formalizados os novos nomes do Executivo.

A Renascença confirmou a saída de Margarida Marques junto de fontes governamentais, onde esta mexida é vista também com alguma surpresa.

Margarida Marques dedicou toda a sua carreira aos Assuntos Europeus, tendo desempenhado vários cargos nas instituições europeias. Na formação do actual Governo, chegou mesmo a estar em cima da mesa a autonomização dos Assuntos Europeus num ministério que lhe seria entregue.

O ministério acabou por não ser criado para não aumentar o número de ministros e Margarida Marques assumiu o cargo de secretária de Estado. Agora, acaba por sair do Executivo, ao que o “Expresso” noticia por alegadas dificuldades de relacionamento com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Margarida Marques irá ocupar o lugar de deputada no Parlamento para onde foi eleita como cabeça de lista por Leiria.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros vê, assim, substituída metade da sua equipa de secretários de Estado. De saída está também o secretário de Estado para a Internacionalização, Jorge Costa Oliveira, um dos três membros do Governo que saíram devido ao caso das viagens pagas pela Galp para irem a França verem jogos do Euro 2016. Para o seu lugar vai o deputado Eurico Brilhante Dias, que foi um dos nomes mais próximos do anterior líder socialista, António José Seguro.

Os outros dois governantes que estão na origem desta mexida no Governo são os secretários de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, e o secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos.

A edição "online" da revista Visão avança que os Assuntos Fiscais ficarão nas mãos de António Mendonça Mendes, advogado e presidente da Federação Socialista de Setúbal, irmão da actual secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes. Já a Indústria, segundo avança o jornal "online" Eco, será entregue a Ana Teresa Lehmann, actual presidente da InvestPorto.

Aquilo que o primeiro-ministro chamou esta quarta-feira, no debate sobre o Estado da Nação, de “ajustamento” no Governo vai atingir também a Presidência do Conselho de Ministros (PCM) de onde sai Miguel Prata Roque (como a Renascença avançou na quarta-feira), sendo substituído por Tiago Antunes.

Arquitecta na Habitação

Também no debate do Estado da Nação, António Costa anunciou a criação da Secretaria de Estado da Habitação. Segundo a Visão, a secretária de Estado da Habitação será a arquitecta Ana Pinho.

Ana Pinho é doutorada em planeamento urbanístico e, actualmente, era administradora da Fundiestamo (Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliário, do Grupo Parpública), sendo também gestora do Fundo Nacional de Reabilitação do Edificado, um dossiê dependente do Ministério do Ambiente, do qual também fica a depender a nova secretaria de Estado que vai tutelar.

[Notícia actualizada às 16h20 com novos nomes avançados pela revista Visão]

A culpa sem marido e uma ajuda do Camões
O Estado da Nação em três minutos: A culpa sem marido e uma ajuda do Camões
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • XUXAS MANIPULADORES
    13 jul, 2017 Lx 17:04
    Gente desconhecida sem estrutura mental para o exercício dos cargos mas certamente militantes do PS. O Brilhante só o é de nome. A tralha Socrática continua a dar cartas no desgoverno de Portugal...Um governo que governa à vista e não tem estratégia para o País...Lamentavelmente continuamos a ter que gramar com esta esquerda folclórica que poê à frente de tudo os seus interesses em vez dos interesses do país..O Estado a cair de podre, sem responsáveis onde toda a gente sacode a água do capote...E assim vai este "sítio" em que se tornou Portugal...
  • VICTOR MARQUES
    13 jul, 2017 Matosinhos 16:41
    E não se lembraram de mim...de si...de nós...de vós...de...
  • XUXAS MANIPULADORES
    13 jul, 2017 Lx 15:42
    Mais tralha Socrática nos nomes...Vindo desse Silva Pereira não augura nada de bom... O governo cai aos bocados mas fazem de conta que está tudo bem.O país e o Estado cai aos bocados e o mestre da pantomina chamado Costa finge que está tudo uma maravilha...Sempre em negação os socialistas...O Pinto de Sousa, esse arauto da nobreza de carácter, também vendia o mesmo peixe e foi a bancarrota... A dívida continua a crescer e muito e não há parança com as esquerdas folclóricas na governação...
  • Carlos Reis
    13 jul, 2017 Coimbra 14:34
    Ontem no pasquim cmtv disseram que a remodelação só se ia dar em Outubro, depois das eleições, porque o Costa estava a ter muitas dificuldades para arranjar quem quisesse ir para o governo, estando inclusive a levar uma negas. O que estes direitolas inventam só para desacreditar o governo. Tenham vergonha, se é que sabem o que isso é.