O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

CDS pede demissão dos ministros da Administração Interna e da Defesa

03 jul, 2017 - 16:15

Assunção Cristas exige demissões dos titulares das pastas devido ao fogo em Pedrógão Grande e ao furto de material de guerra em Tancos. [Em actualização]
A+ / A-

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, pediu esta segunda-feira a demissão da ministra da Administração Interna e do ministro da Defesa Nacional, considerando-as “inevitáveis” porque estes governantes "não souberam estar à altura das suas responsabilidades" no incêndio de Pedrógão Grande e no furto de armas de guerra em Tancos.

"Estes ministros não souberam estar à altura das suas responsabilidades, as demissões são inevitáveis e temos de o dizer sem hesitações e sem rodeios: senhor primeiro-ministro, volte e demita-os", exigiu Assunção Cristas, após ser recebida, a seu pedido, em Belém pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Falando aos jornalistas na sede do CDS, em Lisboa, a líder centrista argumentou que, após a tragédia de Pedrógão Grande e o furto de armamento em Tancos, há "uma crise de autoridade, há uma crise de comando" e há "uma crise de confiança" e esta "só será resolvida com a demissão destes ministros".

O CDS é o primeiro partido a pedir a demissão da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, depois do incêndio de dia 17 de Junho em Pedrógão Grande, que provocou 64 mortos, e do ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, após o furto de armamento em Tancos.

"Estamos convencidos de que não é possível restaurar a quebra de confiança que neste momento existe nas instituições do Estado na área da segurança, da protecção das pessoas e da soberania e restaurar a nossa credibilidade internacional sem que haja uma alteração nos titulares das pastas nestas duas áreas e foi isso que nós transmitimos ao senhor Presidente da República", sustentou Assunção Cristas.

Para o CDS, "num e noutro caso, o Governo tem fugido às suas responsabilidades e mostra-se incapaz de assumir os erros e tirar conclusões", o mesmo que "é rápido a mandar testar a sua imagem e popularidade".

Pedrógão Grande. Passado, incêndio e futuro

"Esperámos uma atitude firme por parte dos ministros em causa ou do primeiro-ministro, assumindo as suas responsabilidades e respectivas consequências políticas. Não o fizeram. Instámos o primeiro-ministro a retirar essas consequências. Não o fez. Passaram-se dias de um silêncio ensurdecedor", declarou.

A líder centrista defendeu que "o que se passou nas últimas semanas em Portugal ultrapassou todas as marcas".

"Quando os portugueses mais precisavam de um Estado que os protegesse, o Estado falhou. Falhou e tarda em assumir que falhou, escondido nas contradições dos governantes, escudado na barafunda dos serviços, disfarçado num primeiro-ministro que só faz perguntas e que se limita a ter ‘curiosidade' nas respostas", argumentou.

O que sabemos sobre o furto de armas de guerra em Tancos

A presidente do CDS-PP defendeu que o primeiro-ministro não deve esperar pelo final da época mais crítica de incêndios ou de que mais material militar seja furtado.

Assunção Cristas referiu que, "ainda antes do incêndio de Pedrógão e do furto de material militar", já tinham sido conhecidos "episódios preocupantes", nomeadamente "a insegurança no aeroporto de Lisboa e o furto de pistolas à PSP".

“Envergonhados” pelos espanhóis

Acerca do furto em Tancos, Cristas frisou que o ministro assumiu a responsabilidade política, mas sem "retirar qualquer consequência disso".

"Sinalizámos a ausência de qualquer palavra por parte do primeiro-ministro numa matéria tão grave quer interna quer externamente. Sentimo-nos envergonhados quando um jornal estrangeiro publica a lista do material furtado", afirmou.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Se
    05 jul, 2017 lx 12:54
    A dita bancarrota foi má, a dose cavalar aplicada pelo desgoverno que esta ex ministra acolitou, foi bem pior e as consequências estão agora a sentir-se e dificilmente irão ser debeladas e ultrapassadas! A malandragem quer agora sacudir a água do capote e culpar quem tem a batata quente nas mãos!
  • PSDs e CDSs
    04 jul, 2017 lis 21:21
    Têm grandes responsabilidades no que está a acontecer em todas as áreas! O desinvestimento é a grande causa disso! Esse desinvestimento que provocaram ao longo de 4 anos e meio, afirmando que o país tinha de empobrecer, para nos impingirem uma saída limpa, com a conivencia externa, pode concluir-se que foi o maior erro que praticaram. Depois de esmifrarem para esse efeito, tudo e todos até ao tutano, desprezaram a prevenção, associada pela destruição de serviços públicos, através da elevada redução de verbas e dos cortes sistemáticos de pessoal, que agora se reconhece serem essenciais para a manutenção dos mínimos exigidos, à adequada gestão da administração publica de um país! Tivemos a ser desgovernados por um grupo de rapazolas, acolitados por irrevogaveis, ambos de egos convencidos, que se intitulavam sabedores da governação de um país mas que não passam de uns convencidos ignorantes e irresponsáveis, que estiveram a mando externo e que continuam a tentar sacudir a água do capote acusando quem está a trabalhar para reverter essa destruição!
  • Vitor Silva
    04 jul, 2017 Açores 15:22
    Pois bem SRª. Cristas! A srª. fala, fala, fala, pede demissões enfim, sabemos o porquê! Mas vamos a factos! A srª não foi Ministra? Então o que diz ao povo dos cortes para as forças Armadas no seu governo? O que diz ao Povo a burla praticada por oficiais superiores superior a 10 milhões nas esses da Força aérea? Sabe que esses 10 milhões que foram para os seus bolsos e não foi agora neste governo que aconteceu, mas sim o contrário a descoberta dessa artimanha e que o vosso governo fazia orelhas surrdas, esse dinheiro dava para cobrir os 383 mil euros do arame farpado e mesmo o sistema de vigilância que levasse 1 milhão, ainda sobrava cerda de 8 milhões para outros melhoramentos nas forças armadas e por isso era melhor a senhora fechar essa matraca que cada vez que a abre se enterra mais a srª e o seu amigo Passos!
  • Fausto
    04 jul, 2017 Lisboa 14:06
    Hoje vamos pedir aqui uma demissão...ou outra...
  • José
    04 jul, 2017 V. N. De Cacela 13:13
    Pois é D. Cristas: VC que sabe tudo (ou pensa que sabe) responda por favor: A quem interessam os últimos acontecimentos nefastos? Quem faz política com esses acontecimentos? Será que o seu líder amigo viu, finalmente, chegar o diabo? O que lucra o país com a demissão dos ministros que v.ex. quer ver demitidos? Qual o legado que deixou quando fez parte do governo anterior? Para obterem estas tristes vitórias, quem lhes terá proporcionado estes acontecimentos - já se pensa em fogo posto no caso de Pedrógão... Fala-se da possibilidade de fuga de informações... Estarão o cds e o ppd de mãos limpas? Lá que querem capitalizar créditos com estas más notícias, é verdade!!! Está com saudades do táxi? Mas os portugueses não têm saudades vossas... Averigue-se...
  • rm
    04 jul, 2017 12:43
    Enquanto alguns Aprendizes de Políticos passam o tempo à procura de Intriguinhas, o Povo Portugues está muito mais Confiante no Seu Futuro e neste Governo. Uma prova disso é o investimento que muitos jovens estão a fazer na Agricultura Portuguesa, caminhando-se para o Equilibrio da Balança Comercial Agrícola. Leiam este artigo que só nos orgulha: http://visao.sapo.pt/actualidade/economia/2017-05-14-Os-novos-agricultores-que-estao-a-mudar-Portugal
  • rm
    04 jul, 2017 12:37
    Enquanto alguns Aprendizes de Políticos passam o tempo à procura de Intriguinhas, o Povo Portugues está muito mais Confiante no Seu Futuro e neste Governo. Uma prova disso é o investimento que muitos jovens estão a fazer na Agricultura Portuguesa, caminhando-se para o Equilibrio da Balança Comercial Agrícola. Leiam este artigo que só nos orgulha: http://visao.sapo.pt/actualidade/economia/2017-05-14-Os-novos-agricultores-que-estao-a-mudar-Portugal
  • 04 jul, 2017 11:19
    Se conceição cristãs tivesse vergonha estava calada.Porque quando estava no governo mandou plantar aéreas de eucaliptos
  • À D. Helena Matos
    04 jul, 2017 Lis 10:02
    O que se destroi em 4 anos e meio dificilmente se constrói em ano e meio! Deve recordar-se que os destruidores afirmavam que se tinha de cortar na "despesa" ( rapazolas ignorantes que nem a casa deles sabem governar, confundem despesa com investimento), e era preciso emagrecer o Estado, confundindo serviços publicos com paraquedistas, nos gabinetes ministeriais a ganharem o triplo de qualquer funcionario publico, pedindo ao povo que não fosse piegas, que saisse da zona de conforto e emigrasse porque era preciso empobrecer custasse o que custasse o pais! Se não tiver a memória curta deve recordar-se do famigerado primeiro-ministro que afirmava isto! Foi esse mesmo que também cortou cegamente os rendimentos das familias, dos reformados e pensionistas porque era preciso ir para além da troica! Verificou-se agora que tudo era uma farsa, vinda de um grande farsola, incapaz mas bom falante para vender banha de cobra em feira ou mercado! Claro que as consequências estão aí e conforme muitos diziam iriam aparecer mais tarde! Passe bem e pense com consciência sem clubismos!
  • maria
    04 jul, 2017 Lx 06:26
    Sede de poder a qualquer custo. Não, não se demite ninguém, e quando houver eleições vai-se ver o desvalor desta pafiana perigosa dos interesses dos eucaliptos, e não só.