O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Exército reforça segurança em Tancos e inspecciona paióis

01 jul, 2017 - 23:29

A informação chegou este sábado através de comunicado oficial.
A+ / A-

O Exército informa que foram reforçadas as medidas de segurança nos Paióis Nacionais de Tancos e determinadas inspecções a estes paióis e aos de Santa Margarida.

Em comunicado, o Exército refere ainda que serão instaurados vários processos de averiguações e instaurado o sistema de vigilância electrónica ainda em 2017.

Estas medidas acrescem às exonerações já anunciadas na RTP pelo chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), Rovisco Duarte, de cinco comandantes de unidades do ramo para não interferirem com os processos de averiguações sobre o furto de material de guerra em Tancos.

A este propósito, o comunicado do Exército refere que estas exonerações não se encontram ligadas, nem têm qualquer associação, "a algum indício ou suspeita de envolvimento ilícito dos titulares destes cargos".

"Prende-se única e exclusivamente com a necessidade de se criarem todas as garantias de que as averiguações em curso decorrerão de forma absolutamente isenta e transparente", refere.

Os militares exonerados são o comandante da Unidade de Apoio da Brigada de Reacção Rápida, tenente-coronel Correia, o comandante do Regimento de Infantaria 15, coronel Ferreira Duarte, o comandante do Regimento de Paraquedistas, coronel Hilário Peixeiro, o comandante do Regimento de Engenharia 1, coronel Paulo Almeida, e o comandante da Unidade de Apoio de Material do Exército, coronel Amorim Ribeiro.

O comunicado do Exército informa que, por decisão do CEME, foi decidido tomar "de imediato" as seguintes medidas de reforço à segurança física dos Paióis Nacionais: aumento do número de militares envolvidos na segurança física das instalações e aumento da frequência das rondas móveis motorizadas e apeadas.

Por outro lado, a Inspecção-Geral do Exército (IGE) irá efectuar uma inspecção de segurança aos Paióis Nacionais de Tancos e de Santa Margarida.

O Exército informa ainda que serão instaurados processos de averiguações na Área Técnica (cargas e condições de armazenagem), Área de Segurança Física (intrusão) e Área do Sistema Integrado de Controlo de Acessos e Vigilância Electrónica (SICAVE).

O comunicado acrescenta que será assegurada, ainda este ano, a implementação do projecto SICAVE.

Na entrevista à RTP em que anunciou a exoneração dos cinco comandantes de unidades do ramo, o general Rovisco Duarte tinha já anunciado três processos de averiguações à segurança dos Paióis Nacionais de Tancos, a realizar pela Inspecção-Geral do Exército, no que respeita à armazenagem, à questão da intrusão, envolvendo todas as unidades, e ao sistema de vigilância.

Já este sábado, o general tinha reconhecido que quem roubou o material de guerra do quartel de Tancos tinha "conhecimento do conteúdo dos paióis" e admitiu apossibilidade de fuga de informação.

Entre o material roubado em Tancos estão explosivos, granadas foguete anticarro e gás lacrimogénio. Os militares confirmam que o sistema de videovigilância "encontra-se inoperacional”.

O ministro da Defesa assumiu este sábado a "responsabilidade política" pelo roubo em Tancos, depois de os partidos políticos terem criticado o sucedido, com o CDS a exigir a audição parlamentar de Azeredo Lopes e o PSD a pedir também para ser ouvido o general Rovisco Duarte.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    02 jul, 2017 Viseu 17:50
    Casa roubada... trancas no porta!
  • Bela
    02 jul, 2017 Coimbra 13:10
    Se a situação não fosse tão grave e não se saber qual será no futuro o destino de tanto material, até daria para rir. Ainda há quem diga que somos um país capaz? Se por acaso de repente... surgisse um conflito armado aqui para estas bandas, estávamos feitos... Atirava-mo-nos ao mar? Tou feita... não sei nadar!
  • al
    02 jul, 2017 adelaide 10:12
    nunca se viu tal "rebaldaria" no exercito como agora.... passou a nao ser obrigatorio..... passou a ser um "negocio" ....