A+ / A-

Apreendido camião cisterna a fazer descarga ilegal em Aveiro

27 jun, 2017 - 18:31

Inspectores do Ministério do Ambiente ordenaram “a cessação imediata da descarga” e recolheram “amostras do efluente a fim de avaliar as características do mesmo”.
A+ / A-

Um camião cisterna, que estava a fazer uma descarga ilegal num colector da rede de saneamento, na zona industrial de Mamodeiro, em Aveiro, foi apreendido esta terça-feira por inspectores do Ambiente.

A investigação começou na quinta-feira e culminou esta madrugada “com a identificação do camião cisterna que percorreu mais de 200 quilómetros, desde a zona de Chamusca até Aveiro, para proceder a uma descarga directa num colector”, avança o Ministério do Ambiente, em comunicado.

Os elementos da Unidade de Intervenção Rápida ordenaram “a cessação imediata da descarga” e recolheram “amostras do efluente a fim de avaliar as características do mesmo”.

O condutor do camião foi apanhado em “flagrante delito e em conduta lesiva” e a cisterna foi de imediato apreendida e selada pelos inspectores do Ambiente.

A operação da Unidade de Intervenção Rápida da Inspecção-geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT) contou com a colaboração do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente da GNR.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Torrejana
    28 jul, 2017 Torres Novas 11:53
    Se procurarem no Google por «ribeira da boa agua torres novas» devem chegar facilmente à origem do problema e a empresa responsavel... fica a dica.
  • Marta
    05 jul, 2017 Porto 11:08
    Cada um comenta o que deseja.Todos dizem que é vergonhoso, que sabem, que viram mas ninguém denuncia. A multas são irrisórias por isso ninguém tem medo, a impunidade é constante.Se a multa a este camião cisterna,passasse pela apreensão em definitivo do veiculo e pela retirada da carta por uns anos largos ao motorista isso talvez mudasse. As multas não resolvem nada. O Estado está mais preocupado em angariar verbas do que resolver situações. As mortes nas estradas aumentam mas continuamos na sensibilização.
  • atento
    02 jul, 2017 fajoes 08:25
    mas o que nao falta e disto em fajoes cesar ha saneamentos ligados as redes tratores que esvasiam fossas para as condutas e para os rios nao ha etaras isto e uma vergonha mas infelismente os nossos governos nada fasem para acabar com isto querem e encher os bolssos nada e feito pelo meio ambiente isto e vergonhoso
  • Victor morgado
    28 jun, 2017 Oronhe 04:11
    A adra tem todos os dias o respiro do saneamento da ponte de espinhel a verter para o rio nas horas de ponta e todas as entidades vêem mas não fazem nada
  • Vergonha
    28 jun, 2017 Lisboa 01:25
    E acham isto muito Grave? Investiguem aos obras das Empresas de construção de Norte a Sul do país, em que para alem de ser enterrados sacos de cimento, ferro, entulhos da obra, plasticos nos solos, poluindo os mesmos e possivelmente as águas subterraneas...Ainda há dias passei por uma obra da Teixeira Pinto e Soares (TPS) e estavam a enterrar plasticos nos solos...Investiguem e apanhem esses criminosos...
  • João
    27 jun, 2017 Espinho 23:14
    quantos atrelados cisterna que os tratores despejam a coberto da noite ou madrugada nos rios ou proximidades nos concelhos de Ovar ou Espinho e Feira alguns com residios industriais perigosos para o ambiente aquático ..............?
  • António Correia
    27 jun, 2017 Fátima 23:09
    A Costa, olhe que não, quando são apanhados em flagrante, acredite que dói. Na Marinha Grande um particular despejou poluentes para a ribeira, pagou o tratamento dos patos e a limpeza da ribeira, cerca de 5000€ pagou o transporte e estadia dos patos num centro de recuperação para aves, mais 2000€ a multa foi 8000€ porque era pessoa singular, se fosse empresa ia a máximo de 200 mil €. O homem fez o despejo para não pagar 400€ no tratamento do efluente, saiu-lhe bem caro. Eu não queria pagar o que o camionista vai pagar, nem a empresa, mas é bem feito, e devem ou deviam aplicar valores máximos sem atenuantes e mostrar bem nas notícias, para fazer passar a mensagem não é só explorar a situação dos fogos que já cansa e não tem nada de novo a acrescentar.
  • Uma Sugestão
    27 jun, 2017 Ningures 23:08
    E que tal anunciarem o nome da empresa para que os mesmos possam ser condenados na praça pública??? ou existem outros interesses?
  • sinceramente
    27 jun, 2017 Trancoso 23:06
    O estêrco humano é capaz de tudo sem olhar para as consequências, num país a sério estes mânfios eram bem punidos.
  • António Correia
    27 jun, 2017 Fátima 22:26
    A Costa, olhe que não, quando são apanhados em flagrante, acredite que dói. Na Marinha Grande um particular despejou poluentes para a ribeira, pagou o tratamento dos patos e a limpeza da ribeira, cerca de 5000€ pagou o transporte e estadia dos patos num centro de recuperação para aves, mais 2000€ a multa foi 8000€ porque era pessoa singular, se fosse empresa ia a máximo de 200 mil €. O homem fez o despejo para não pagar 400€ no tratamento do efluente, saiu-lhe bem caro. Eu não queria pagar o que o camionista vai pagar, nem a empresa, mas é bem feito, e devem ou deviam aplicar valores máximos sem atenuantes e mostrar bem nas notícias, para fazer passar a mensagem não é só explorar a situação dos fogos que já cansa e não tem nada de novo a acrescentar.