O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

​Pedrógão Grande. Ministra ordena auditoria ao SIRESP

26 jun, 2017 - 21:44

Constança Urbano de Sousa "exige respostas rigorosas ao funcionamento" do sistema de comunicações de emergência.
A+ / A-

Veja também:


A ministra da Administração Interna pediu esta segunda-feira um estudo independente ao funcionamento do sistema de comunicações SIRESP e uma auditoria à Secretaria-Geral Administração Interna, que vai ser realizada pela Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI).

Em comunicado, com o título "MAI exige respostas rigorosas ao funcionamento do SIRESP", é dito que Constança Urbano de Sousa determinou estes dois procedimentos às duas entidades após "informações de carácter técnico operacional coligidas" e tendo em conta que "foram reportados dificuldades na utilização" do SIRESP "no trágico incêndio de Pedrógão Grande".

A ministra determinou a elaboração, pelo Instituto de Telecomunicações (IT), "de um estudo independente sobre o funcionamento do SIRESP em geral, e em situações de acidente grave ou catástrofe, em particular".

Constança Urbano de Sousa ordenou também que a IGAI faça uma auditoria ao cumprimento, por parte da Secretaria-Geral da Administração Interna, enquanto entidade gestora do SIRESP, das obrigações legal e contratualmente estabelecidas, designadamente ao nível da gestão, manutenção e fiscalização.

O estudo do Instituto de Telecomunicações deverá identificar, do ponto de vista técnico, "eventuais constrangimentos e propor possíveis medidas que possam garantir que o SIRESP responde às necessidades para o qual foi criado, tendo em consideração as melhores e mais recentes práticas internacionais nesta matéria", refere o comunicado.

A auditoria por parte da IGAI deverá estar pronta no prazo de 30 dias.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro ordenou à ministra da Administração Interna que providenciasse junto da Secretaria-Geral do seu ministério um "cabal esclarecimento" sobre as falhas ocorridas na rede SIRESP.

"Tendo em conta esta descrição, deve a ministra da Administração Interna providenciar junto da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna e da SIRESP, SA o cabal esclarecimento do sucedido", refere o despacho com data desta segunda-feira, assinado pelo primeiro-ministro, António Costa.

Este despacho surge na sequência da resposta da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) ao primeiro-ministro, assumindo as falhas na rede SIRESP, entre sábado e terça-feira [de 18 a 20 de Junho], no teatro de operações de combate ao incêndio de Pedrógão Grande, mas alegando que foram supridas por "comunicações de redundância".

Os incêndios que deflagraram na região centro, há uma semana, provocaram 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foram dados como extintos no sábado.

Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta.

Pedrógão Grande. Passado, incêndio e futuro

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vasco
    27 jun, 2017 Santarém 21:43
    A senhora ministra pede uma auditoria ao SIRESP que nos mama milhões por ano pelos vistos para nada, ou antes para encher a carteira a meia-dúzia de bem formados, mas quem irá pedir uma auditoria ao ministério da administração interna ou a todo o governo desinteressados pelos vistos das suas responsabilidades? Não venham agora dizer que a culpa é da oposição que não anda atenta ao andamento do país.
  • António
    27 jun, 2017 Lisboa 19:12
    A monitorização do SIRESP cabe a Portugal Telecom ( agora Altice ) com um custo anual a rondar os 400 milhões . A politica de redução de custos em pessoal e equipamentos por parte desta empresa tem tido consequências gravosas, e este acontecimento vem revelar as evidencias. Questionem os meios humanos escalados pela PT em fim de semana e madrugadas para monitorização e prevenção ao SIRESP bem como os Técnicos em Prevenção no terreno. , Talvez encontrem as respostas.
  • JULIO
    27 jun, 2017 vila verde 16:25
    A ministra pede respostas rigorosas.ela não sabe como funsiona admnistração publica e governo ? Ela deve saber bem a resposta porque tenta atirar com areia aos olhos dos tugas ?
  • Armandino C
    27 jun, 2017 Lisboa 12:47
    Uma vez na vida deste país que se façam rolar as cabeças certas enao as que dao jeito; que se apurem as responsabilidades financeiras, sem compadrios nem amigalhaços. Doa a quem doer.
  • É assim
    27 jun, 2017 Lis 11:09
    Que se trabalha! Em vez de se lançarem boatos é com base em dados concretos que se pode agir! Só quem for irresponsável pode afirmar coisas, sem estar fundamentado e quem assim age não pode ser responsavel nem dirigente do que quer que seja! A sra ministra pelo que tem demonstrado e feito é merecedora de toda a consideração! O tempo se encarregará de demonstrar quem tem razão!
  • Victor
    27 jun, 2017 Lx 09:25
    A continuidade desta ministra é insustentável e tanto a própria como o Costa sabem isso muito bem; mas à ministra cujo desnorte tem sido e continua ser mais que evidente a preocupação é manter o tacho-poleiro. A senhora não tem perfil para o cargo e devia ter a dignidade de sair, e para o Costa já era tempo de agir e apontar-lhe a saída!
  • andré
    27 jun, 2017 Porto 09:23
    SIRESP foi adjudicado "pelo" antónio costa!!!! Grave!!!
  • iFernando
    27 jun, 2017 Porto 08:42
    Pedi cá em casa ao gato e ao cão para fazerem uma auditoria ao Siresp e me darem uma resposta em 30 dias. Por sorte o gato e o cão só demoraram 15 minutos a dar resposta. Resultado: Siresp pentenceu originalmente ao SLN Sociedade Lusa de Negocios ex BPN, Altice ex meo e Motorola. Foi renegociado pelo governo anterior porque tinham falhas, o governo anterior comprou duas novas carrinhas moveis. O governo atual esqueceu de comprar as antenas para essas carrinhas. A Ministra afirmou na TV que só houve falhas intermitentes... Outra curiosidade, o accionista principal do Siresp e o fornecedor principal do Siresp pertencem à mesma empresa (entre eles parece que não há reclamações).
  • COSTA ALDRABIILHAS
    26 jun, 2017 Lx 22:54
    Esta tenrinha deveria ir para casa...pobre coitada já não tem condições para ser Ministra e deve ser responsabilizada politicamente pelo desclabaro e pela morte de mais de 64 pessoas e mais de 250 feridos..Até o Costa deveria ter respeito pelos falecidos e a verborreia acabou e chega de vendedores da banha da cobra como o Costa e seus apaniguados.
  • Marco Lopes
    26 jun, 2017 22:51
    LOL, o estudo já foi feito e abafado! e depois foram feitas investigações, que o governo ignorou... https://www.youtube.com/watch?v=S8adTX-Ae6k