O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Selecção Nacional

Fernando Santos espera "resposta" de campeão europeu frente à Rússia

20 jun, 2017 - 16:59

Seleccionador nacional admite efectuar mudanças no onze, face à fadiga acumulada do grupo que comanda. Fernando Santos projecta jogo "difícil" contra os anfitriões da Taça das Confederações mas deixa a promessa: "Partimos sempre para ganhar".
A+ / A-

Fernando Santos espera, da Selecção Nacional, uma resposta "ao nível" de um digno campeão europeu, frente à Rússia, rebatendo o tardio empate consentido perante o México, na primeira jornada do Grupo A da Taça das Confederações.

O seleccionador puxou do apelo ao orgulho dos vencedores do Euro 2016 para contrariar os erros cometidos diante dos norte-americanos. E tudo porque o seleccionador reconhece, sem reservas, que o encontro com a anfitriã da prova será "difícil" e, ao mesmo tempo, importante para as aspirações lusas.

"O que espero é a uma resposta ao nível que nos habituaram a dar. A maioria destes jogadores escreveram a página mais brilhante do futebol português. É bom não esquecermos isso. Sabemos sempre do grau de dificuldade destes jogos. É um adversário forte, que se está a preparar há um ano para esta competição e para o Mundial. Perante o seu público, em crescendo, em fase de renovação e com um seleccionador novo, é muito forte", projectou Fernando Santos, esta terça-feira, em conferência de imprensa, deixando a garantia:

"A equipa estará preparada para responder bem", assegurou, fazendo contas aos três cenários que compõem um jogo de futebol numa fase de grupos de um torneio.

"Todos estes jogos são finais e todos eles encerram esse espírito de final. Se a Rússia vencer fica numa posição muito favorável, Portugal se vencer também fica numa posição muito favorável", analisou.

Alterações à vista. "É impossível jogar três jogos seguidos com o mesmo onze"

Fernando Santos admitiu, com naturalidade, a possibilidade de mexidas no onze inicial da Selecção mas não porque uma ou outra exibição o tenha desagradado, frente ao México. A realidade é que a fadiga do grupo que comanda assim o obriga.

"É impossível jogar três jogos seguidos com o mesmo onze. Foi uma época prolongada e os jogadores estão fatigados. Isso estava previsto. Vamos procurar efectuar um jogo ao nosso melhor nível. Temos um objectivo. Contra o México, o resultado não foi o que desejávamos mas partimos sempre com o objectivo de ganhar", salientou.

O Rússia-Portugal arranca às 16h00 de quarta-feira, com arbitragem do italiano Gianluca Rocchi. Partida com acompanhamento numa Tertúlia Bola Branca, na antena da Renascença, e também em rr.sapo.pt.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Legionário
    21 jun, 2017 lisboa 08:48
    Hoje, dia 21 de Junho do ano de 2017, é inaugurada uma grande obra, de enorme importância para o SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, o Pavilhão João Rocha!! Não existe qualquer referencia a este facto em toda a comunicação social desportiva deste pais! É TRISTE!!