O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Cáritas dá 200 mil euros para as ”necessidades emergentes da população”

18 jun, 2017 - 11:12

O incêndio em Pedrógão Grande faz 57 mortos e 59 feridos.
A+ / A-
Tragédia em Pedrógão Grande. Pelo menos 57 mortos em incêndio
Tragédia em Pedrógão Grande. Pelo menos 57 mortos em incêndio

Em directo: Toda a informação sobre Pedrógão Grande e outros incêndios


A Cáritas Portuguesa manifesta a sua solidariedade com todas as vítimas e familiares da tragédia em Pedrogão Grande e vai disponibilizar 200 mil euros para as “necessidades emergentes da população no local”.

Um comunicado revela que outras dioceses e comunidades cristãs “manifestaram também o seu apoio a e a sua disponibilidade” para colaborar com a Cáritas nesta resposta solidária.

Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa e Pe. Luís Costa, presidente da Cáritas Diocesana de Coimbra, onde se integra a área de Pedrogão Grande afectada pelo incêndio, “estão a acompanhar a situação a partir do local, para onde se deslocam neste momento, com vista a avaliar a situação e a poder dar a melhor resposta de solidariedade face às necessidades que se registarem, acrescenta o mesmo texto.

O número de mortos no incêndio rural que deflagrou no sábado em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, aumentou para 57, disse este domingo o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.

O incêndio causou ainda 59 feridos, segundo um balanço das 10h00.

O fogo alastrou-se aos concelhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, também no distrito de Leiria.

UE solidária com Portugal

O comissário europeu para a Ajuda Humanitária, Christos Stylianides, anunciou que a União Europeia está pronta ajudar Portugal, tendo já sido enviados aviões de combate a incêndios pelo Mecanismo de Protecção Civil europeu.

"Numa resposta imediata a um pedido de assistência das autoridades portuguesas, o Mecanismo de Protecção Civil da UE foi activado para providenciar aviões de combate a incêndios", disse o comissário, num comunicado.

"A UE está pronta para ajudar", salientou, lamentando as mortes e enviando as condolências "aos que perderam entes queridos".

O responsável referiu que "a França ofereceu imediatamente três aviões através do Mecanismo de Proteção Civil da UE, que serão enviados para ajudar no local”. Também a Espanha, “numa base bilateral, enviou equipamento aéreo".

O comissário elogiou ainda "a bravura dos bombeiros e dos serviços de emergência no terreno, arriscando as próprias vidas para salvar as de outros".


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António
    18 jun, 2017 13:08
    Finalmente a cáritas aparece após o escândalo dos depósitos milionários que não ajudam na miséria. Nada como aproveitar a desgraça para limpar a imagem. A ajuda desinteressada não se publicita.
  • FR
    18 jun, 2017 Portugal 12:45
    O ronaldo podia dar uns milhões sem lhe fazer mossa