O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Pedrógão Grande. PJ afasta origem criminosa e aponta "trovoadas secas" como causa

18 jun, 2017 - 09:40

"Tudo aponta muito claramente para que sejam causas naturais. Inclusivamente encontrámos a árvore que foi atingida por um raio”, diz o director nacional da Polícia Judiciária.
A+ / A-

Em directo: Toda a informação sobre Pedrógão Grande e outros incêndios


O director nacional da Polícia Judiciária (PJ) afirmou este domingo à agência Lusa que o incêndio que deflagrou no sábado no concelho de Pedrógão Grande teve origem numa trovoada seca, afastando qualquer indício de origem criminosa.

“A PJ, em perfeita articulação com a GNR, conseguiu determinar a origem do incêndio e tudo aponta muito claramente para que sejam causas naturais. Inclusivamente encontrámos a árvore que foi atingida por um raio”, disse Almeida Rodrigues.

"Conseguimos determinar que a origem do incêndio foi provocada por trovoadas secas”, tendo sido a partir daí que o fogo se propagou, explicou.

Segundo Almeida Rodrigues, desde sábado, a PJ tem estado no terreno com brigadas em vários locais, em articulação com a GNR. “Nós temos equipas no terreno numa tripla vertente, por um lado no plano da prevenção embora obviamente contra trovoadas não é possível prevenir o que quer que seja”, com “equipas no terreno para determinar as causas do incêndio e da progressão do incêndio” e outras para investigar “as causas da morte das pessoas que foram atingidas por esta tragédia”, acrescentou.

O fogo, que causou pelo menos 58 mortos e 54 feridos, incluindo oito bombeiros, deflagrou ao início da tarde de sábado numa área florestal em Escalos Fundeiros, em Pedrógão Grande (distrito de Leiria), e alastrou aos municípios vizinhos de Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, obrigando a evacuar povoações ou deixando-as isoladas. Algumas das vítimas mortais foram apanhadas pelas chamas quando circulavam por estradas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Dias
    19 jun, 2017 Lx 00:07
    O fogo começou às 3 da tarde ou -, as trovoadas secas foram às 6 da tarde, ouvi na tv, alguma coisa não está bem.
  • Jorge
    18 jun, 2017 Lisboa 18:44
    Terem encontrado a árvore antigida por um raio depois do fogo ter estorricado tudo é obra hã...
  • Kris
    18 jun, 2017 Fal 15:47
    Grandes aldrabões! Quem é que se acredita que foram tantas pessoas assassinadas pela trovoada??