O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

TAP. Passos Coelho considera “pouca-vergonha” nomeação de Lacerda Machado

11 jun, 2017 - 09:24

Diogo Lacerda Machado integrou as negociações com os accionistas privados para que o Estado voltasse a ter maioria do capital da TAP.
A+ / A-

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, considerou que é "uma pouca-vergonha" o Governo nomear para administrador da TAP "o mesmo homem que andou a negociar a reversão" da privatização da transportadora.

"Isto é uma pouca-vergonha, não tem outra classificação. E fica tão mal a quem nomeia como a quem aceita", afirmou Passos Coelho, ao discursar durante a convenção autárquica do PSD de Viseu.

Miguel Frasquilho vai ser o novo presidente do Conselho de Administração da TAP, confirmou no sábado o jornal "Expresso", que avançou ainda o nome do advogado Lacerda Machado e da líder da Fundação Serralves, Ana Pinho, para vogais.

Diogo Lacerda Machado, amigo do primeiro-ministro, António Costa, integrou as negociações com os accionistas privados para que o Estado voltasse a ter maioria do capital da TAP.

Passos Coelho disse que quem está no Governo não se pode "andar a meter nas eleições autárquicas, a fazer favores aos autarcas amigos e do partido, como acontece com este Governo de forma descarada".

"A nível nacional é a mesma coisa. O mesmo homem que andou a negociar a reversão da TAP parece que vai ser nomeado administrador da TAP pelo Estado. É uma coisa extraordinária. Tudo isto se faz esperando que ninguém diga nada", lamentou.

O presidente do PSD criticou também este Governo, que "não fez nada até hoje" para resolver o problema das rendas da energia, por vir agora dizer "que vai arranjar 500 milhões para o ano".

O Expresso noticiou no sábado que o "Governo vai exigir 500 milhões à EDP" e que o executivo "quer reaver dinheiro pago a mais durante dez anos".

Segundo Passos Coelho, "até hoje, só houve um Governo que tomou medidas que valeram mais de quatro mil milhões de euros para cortar em rendas de energia, que foi o Governo liderado pelo PSD", de forma que "o país já está a beneficiar de uma redução do deficit tarifário", herdado em 2011.

"Já está a diminuir, vai desaparecer até 2021 como nós tínhamos previsto. E este Governo, que não mexeu uma palha para isso, conseguiu pôr nos jornais que vai à EDP arranjar maneira de ir buscar 500 milhões que se pagaram a mais", referiu.

"Então cortámos quatro mil milhões, só por conta da EDP devem ter sido uns dois mil milhões, e só vão buscar 500 milhões?", questionou.

Passos Coelho frisou que "quem está no Governo sabe que não está a resolver nada, sabe que quer dar a ideia de que quem esteve antes não fez nada, quando foram os únicos que fizeram alguma coisa".

"E ainda quer criar a expectativa para futuro de que vão resolver problemas que não sabem resolver e alguns que nem querem resolver. É assim que o país está hoje a ser governado", lamentou.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Mas!
    13 jun, 2017 lis 14:42
    Não há ninguém que atire com uns tomates ao focinho do coelho?
  • Oliver
    12 jun, 2017 Mafra 15:19
    A memória deste ser ou falha por todo lado ou é selectiva ou é somente um aldrabão sem qualquer pingo de vergonha. Então alguém que negoceia pelo estado, sendo depois nomeado pelo Estado, realço pelo Estado para o representar nessa empresa é uma pouca vergonha e alguém que negoceia pelo estado e depois é contratado pela empresa com a qual negociou já não é uma vergonha??? Já se esqueceu do Catroga e da EDP...Alguém lhe diga que a falta de memória recente é um sintoma forte de Alzheimer...o PSD enquanto não se livrar desta seita que o tomou de assalto nunca mais é alternativa...
  • Maria Santos
    12 jun, 2017 Almada 12:16
    ...E Miguel Frasquilho, não é ?
  • Simonete
    12 jun, 2017 Estoril 10:47
    Pobre alarve, ainda não percebeu que fala sozinho! Cada vez mais intriguista, denotando-se cada vez mais a sua falta de educação e formação cívica!... cada vez mais parecido com o presidente do sporting!!!! :) ;)
  • Albertina Sarmento
    12 jun, 2017 Anadia 10:33
    Não é vergonha, com certeza, nomear Miguel Frasquilho para presidente do CA da mesma empresa!! :) Cada vez mais ridículo este ser!
  • Rui
    11 jun, 2017 Lisboa 17:57
    Há algum governo que não faça isto, governam os portugueses com os impostos e governam se a eles com a dívida, toda a gente sabe o que se passa não vale apena virem debitar xibisses que Portugal pode ser a parvalheira mas os portugueses não são parvos e tem olhos na cara para ver que a enchada é só para alguns.
  • Eborense
    11 jun, 2017 Évora 16:40
    Tem toda a razão no que diz, mas da geringonça o que há a esperar? Favores aos amigos, compadrio, demagogia, mentiras, etc, etc. São o ADN da xuxalhada! Tanto dos que governam, como dos que a apoiam.
  • JULIO
    11 jun, 2017 vila verde 15:50
    Sempre que este homem diz uma vaedade a esquerda vomita òdio porque serà ? Srà pur ele querer fazer justiça pondo os fp a trabalhar ?..
  • Jesus
    11 jun, 2017 Viseu 14:23
    Como é possível falar em vergonha, quando deveria olhar primeiro para o seu umbigo!... Todos fazem o mesmo (nas Câmaras; nos Institutos Públicos, etc. etc...!... A quem pertence Miguel Frasquilho e outros, será que são do PS? São todos iguais, por isso e cada vez existe mais um desacreditar nos políticos!...
  • maria
    11 jun, 2017 lisboa 14:02
    e de direita esta mal e de esquerda esta bem os do centro e direita teem que comer e calar os de esquerda podem fazer tudo em nome do povo o povo tem memoria curta