O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Libertadas dez pessoas detidas após os atentados de Londres

05 jun, 2017 - 23:51

Duas outras pessoas tinham sido já libertadas sem acusação no âmbito de investigações sobre o atentado de sábado à noite, em Londres.
A+ / A-

As dez pessoas ainda detidas no âmbito da investigação sobre o atentado de Londres foram libertados esta segunda-feira sem acusação, anunciou a polícia londrina.

Estas dez pessoas tinham sido detidas no domingo durante rusgas levadas a cabo no bairro de Barking, na zona leste de Londres, donde eram originários dois dos três autores do atentado cometido no sábado à noite, Khuram Shazad Butt e Rachid Redouane.

Duas outras pessoas já tinham sido libertadas sem acusação.

Três terroristas levaram a cabo um atentado na noite de sábado, atropelando várias pessoas na London Bridge antes de entrarem num mercado onde feriram e mataram pessoas com armas brancas antes de serem mortos pela polícia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • P/João Lopes
    06 jun, 2017 Hipocrisia no seu melhor 13:01
    Oh João Lopes isto é um problema que não é só dos estados, tem a ver com as pessoas, neste caso mulheres sem quais queres escrúpulos, não são só os homens que são assassinos e monstros há muitas mulheres iguais, que até matam os próprios filhos e algumas depois das crianças nascerem colocam-nos no lixo. Eu sou contra o aborto, e estas que o fazem é que deveriam ter as mães que lhes fizessem a mesma coisa quando estavam na sua bariga. Mas também mesmo que o estado proíba elas fazem na mesma às escondidas. Mas uma coisa é o aborto, outra coisa é terrorismo. Ninguém quer estar a assistir um concerto para perder a sua vida num ataque das bestas. O terrorismo tem se tornado num grande problema por causa dos líderes que os aceitam, pelos vistos há muitos que defendem valores, mas que não passa de hipocrisia, há muito interesse nos grandes grupos econômicos para que se possa substituir migrantes pelas pessoas dos países, o objetivo é se enriquecer mais à conta de trabalho quase escravo. Dizer que o aborto é pior que terrorismo é de uma parvalheira que não tem explicação. Não é o estado que tem culpa do aborto são as pessoas que o fazem, algumas até o fazem para poderem andar mais em liberdade. Há muitas razões. Porque não culpas aqueles que dão salários de miséria para que muitas das mães não possam ter possibilidades de criar os filhos? Mas para isto andas ceguinho, mas queres é muçulmanos para trabalharem quase de borla mas que as pessoas de casa que se danem e que vão emigrar.
  • João Lopes
    06 jun, 2017 Viseu 10:50
    No Mundo há 120.000 abortos por dia; na Grã-Bretanha 620 abortos/dia; na França 580 abortos/dia; em Portugal 51 abortos por dia. São seres humanos indefesos e inocentes, exterminados silenciosamente na barriga das próprias mães e quase sempre com o apoio dos Estados! Isto não será pior do que terrorismo?
  • João Lopes
    06 jun, 2017 Viseu 10:28
    No Mundo há 120.000 abortos por dia; na Grã-Bretanha 620 abortos/dia; na França 580 abortos/dia; em Portugal 51 abortos por dia. São seres humanos indefesos e inocentes, exterminados silenciosamente na barriga das próprias mães e quase sempre com o apoio dos Estados! Isto não será pior do que terrorismo?