O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Bispo copta responde a terroristas: “Vocês são amados”

30 mai, 2017 - 11:04 • Filipe d'Avillez

O bispo Angaelos, da Igreja Copta Ortodoxa, responde de forma inesperada aos crimes levados a cabo por terroristas na semana passada, “mas a mensagem cristã é mesmo assim”.
A+ / A-

O principal bispo copta do Reino Unido escreveu esta terça-feira uma mensagem dirigida aos terroristas em geral, na sequência dos atentados da semana passada que mataram 28 cristãos no Egipto e 22 pessoas em Manchester.

O bispo Angaelos começa a sua mensagem por dizer que já se dirigiu várias vezes a vítimas e familiares de atentados, mas que desta vez sente a necessidade de falar aos que levam a cabo estes crimes.

“Vocês são amados. Os crimes violentos e mortíferos que levam a cabo são aberrantes e detestáveis, mas VOCÊS são amados”, escreve.

“São amados por Deus, nosso Criador, porque Ele criou-vos na Sua Imagem e de acordo com a sua natureza e vos colocou na terra para fazer coisas muito melhores, de acordo com o seu plano para a humanidade. São amados por mim e por milhões como eu, não por causa do que fazem, mas por causa do que são capazes de fazer na qualidade de criaturas maravilhosas de Deus, que nos criou com uma humanidade partilhada. São amados por mim e por milhões como eu porque eu, e nós, acreditamos na transformação”.

O bispo afirma que a crença na transformação está no centro da mensagem cristã e recorda os muitos casos de pessoas que perseguiam cristãos e acabaram por se converter.

“Esta, claro, está longe de ser a reacção que muitos esperariam, mas a mensagem cristã é precisamente isso, olhar o nosso mundo pelos olhos de Deus, que nos ama e que deseja que todos sejam libertados através dele.”

O bispo Angaelos nasceu na Austrália, filho de pais egípcios. Tornou-se monge e foi mais tarde nomeado bispo da Igreja Copta Ortodoxa, servindo actualmente a comunidade britânica e desempenhando um papel importante em representação da sua Igreja no diálogo ecuménico e inter-religioso.

O atentado da passada sexta-feira no Egipto, na província de Minya, atingiu um grupo de coptas, como são conhecidos os cristãos do Egipto, que estavam a caminho de um mosteiro no deserto. Os autocarros foram emboscados por homens armados e dezenas de pessoas morreram, com outras tantas a ficarem feridas. Muitas das vítimas são crianças.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • mara
    31 mai, 2017 Portugal 11:30
    Caro (a) ORABEM muito inteligente o seu comentário, realmente este Bispo é um grande Homem de Deus, algo é certo estes monstros não compreendem a linguagem do Amor, Paz, Concordia nem a linguagem de Deus, do Deus que disse: " Não Matarás!" E enquanto lhes for dado tempo de antena e ditas palavrinhas mansas eles continuam na sua matança porque não têm discernimento para compreender que os Caminhos de DEUS são Caminhos de Verdade, Amor e Vida e não podem obrigar à força e pela morte que o Mundo siga os seus caminhos e as suas crenças....
  • Orabem!
    30 mai, 2017 dequalquerlado 14:42
    Estes terroristas nunca se vão transformar, porque eles gostam de matar, gostam de ser como são, querem ser como são. Estas boas mensagens, estas boas atitudes como cristãos, estas florinhas para honrar os mortes que estas pestes fazem, isto já vem de há muitos anos, e cada vez mais tem tido tendencia para aumentar e não diminuir. Os terroristas não se comovem com isto. São seres humanos mas é só na forma física porque de resto o raciocínio é muito pior que um bicho que mata os outros mais fracos para comer.