O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Sindicato da ASAE ameaça pôr Ministério da Economia em tribunal

28 mai, 2017 - 15:54

Trabalhadores querem justiça nas indemnizações e a contemplação de determinados pontos nos estatutos propostos pelo Governo. Protestos e greve à vista.
A+ / A-

A Associação Sindical dos Funcionários da ASAE aprovou "intentar, no imediato", uma acção judicial contra o Ministério da Economia para pedir indemnizações para os inspectores.

A violação do princípio constitucional "trabalho igual, salário igual" é o fundamento da acção, decidida no sábado em Lisboa e dada a conhecer este domingo através de comunicado.

Na nota à comunicação social, o sindicato (ASFASAE) reivindica que o Ministério da Economia indemnize os inspectores-adjuntos e inspectores técnicos da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), "em valor corresponde ao diferencial entre o vencimento efectivamente auferido e o vencimento que deveriam auferir", igual à dos inspectores da carreira de inspecção-superior que "exercem as mesmas funções".

Ameaça com acções de protesto dos trabalhadores se a proposta de estatuto, que o Governo vai remeter à associação sindical até 9 de Junho, não contemplar as transições dos inspectores da ASAE para a carreira única, a tabela remuneratória e necessários suplementos remuneratórios, a regulação do acesso aos cargos de Direcção da ASAE e o regime especial de aposentação.

Se não for satisfeita esta pretensão dos inspectores, a associação promete realizar vigílias e "acções de protesto e sensibilização junto dos aeroportos, terminais de cruzeiros, marinas, estações de comboios, zonas de atracção turísticas", entre outros.

"A assembleia de delegados mandatou ainda a actual direcção nacional para convocar três dias de greve nacional dos trabalhadores da ASAE, após 27 de Junho, caso a postura do Governo à mesa das negociações não sofra alterações", conclui no comunicado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joao Pereira
    29 mai, 2017 Coimbra 01:51
    O SEF queixa-se que neste momento tem 700 inspetores para o território português e são poucos, como tal, necessitam urgentemente de recursos humanos, certamente o SEF e o governo não sabe quantos inspetores tem a ASAE para as imensas e diversas atividades que inspecciona a nível nacional. Definitivamente o governo não quer saber da ASAE.
  • Rui Amorim
    28 mai, 2017 Braga 20:49
    A ASAE é obra Socialista, os pseudo ideólogos dos pró-trabalhadores, até agora não se viu nada nesta organização, exceptuando-se os cargos de chefia por substituição para amigos. Progressões 0, concursos a demorarem mais de 6 anos, mobilidade só para os de fora a auferirem o triplo dos seus Inspetores-Adjuntos licenciados... enfim!
  • COSTA PANTOMINEIRO
    28 mai, 2017 Lx 16:50
    E assim se vê a força do PCP a "apertar" o kamarada Costa que cederá a esta escumalha da CGTP apenas pela apregoada paz social...Paz social diz ele com estes bandalhos da Fenprof e da CGTP, uns tipos que aainda não sairam dos sé culo passado...A favor da paz social como diz o pantomineiro e vendedor da banha da cobra chamado Costa, um vendedor de ilusões...