O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Novos combates fazem mais de 20 mortos na República Centro-Africana

20 mai, 2017 - 14:05

Confrontos entre milícias muçulmanas e cristãs levaram 10 mil pessoas a fugir da zona de Bria.
A+ / A-

Pelo menos 22 pessoas morreram e 36 ficaram feridas na cidade de Bria, na República Centro-Africana, em confrontos entre milícias cristãs e muçulmanas.

De acordo com a MINUSCA, a missão de paz das Nações Unidas, entre as vítimas estão 17 civis e os combates levaram 10 mil pessoas a fugir da zona.

A milícia muçulmana Seleka e os cristãos da anti-balaka envolveram-se em combates para tentar controlar uma pista de aviões e realizaram uma onda de saques, que obrigaram o pessoal humanitário a refugiar-se na base dos capacetes azuis.

“Os combates entre grupos armados em Bria e noutros pontos da República Centro-Africana têm que parar”, apela Diane Corner, a número dois da MINUSCA, em comunicado.

“Estes actos de violência cometidos por grupos armados na última semana mataram dezenas de homens, mulheres e crianças inocentes, privaram famílias do seu lar e dos seus meios de subsistência”, lamenta a responsável da ONU.

A força internacional reforçou o seu contingente nas cidades de Bangassou e Alindao, que também foram assoladas pela violência nos últimos dias.

De acordo com a Cruz Vermelha, 115 cadáveres foram encontrados em Bangassou, depois de vários dias de confrontos.

Comandos portugueses, que estão na República Centro-Africana ao serviço das Nações Unidas, participaram esta semana no salvamento do bispo de Bangassou, Juan Jose Aguirre, avançou o jornal espanhol “Religión Digital”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.