O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

​Maduro para Trump: “Tira as mãos sujas da Venezuela”

20 mai, 2017 - 11:11

Presidente venezuelano também manifestou o seu apoio ao povo brasileiro, numa altura em que o Presidente Michel Temer foi acusado de corrupção, e criticou o silêncio da Organização de Estados Americanos (OEA).
A+ / A-
​Maduro para Trump: “Tira as mãos sujas da Venezuela”
​Maduro para Trump: “Tira as mãos sujas da Venezuela”

O Presidente venezuelano, Nicolas Maduro, mandou o seu homólogo norte-americano tirar as “mãos sujas” da Venezuela e condenou as sanções do Departamento de Estado a oito magistrados do Supremo Tribunal de Justiça.

“O presidente Donald Trump deixou impor as políticas fracassadas do Departamento de Estado que atacam a Venezuela. Repudio e recuso as pressões de Donald Trump contra a dignidade da pátria venezuelana. Tira daqui as tuas mãos sujas, Donald Trump. Vai para casa, Donald Trump, sai da Venezuela”, declarou Nicolas Maduro, num inflamado discurso realizado na sexta-feira.

As autoridades de Caracas reagem assim à decisão tomada esta semana pelo Departamento de Estado norte-americano de impor sanções a um juiz e a sete magistrados do Supremo Tribunal de Justiça venezuelano.

As sanções foram impostas por terem usurpado a autoridade da Assembleia Nacional e permitido que Maduro governasse através de um decreto de emergência, o que, segundo a administração Trump, restringe os direitos do povo venezuelano.

No seu discurso de sexta-feira, o Presidente da Venezuela também manifestou o seu apoio ao povo brasileiro, numa altura em que o Presidente Michel Temer foi acusado de corrupção, e criticou o silêncio da Organização de Estados Americanos (OEA).

“Vejam o que se está a passar no Brasil, um Governo golpista, uma máfia muito corrupta, aliada de toda esta direita. Por onde passam caem os governos. Desde aqui, em nome da revolução bolivariana do povo democrático, patriótico e revolucionário da Venezuela, envio uma palavra de alento e apoio ao povo brasileiro na sua luta para restabelecer um Governo democrático, decente e patriótico para o Brasil. Viva o Brasil rebelde”, declarou Nicolas Maduro, que recentemente anunciou a saída da OEA.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Marco Visan
    22 mai, 2017 Lisboa 19:38
    Com o plano de saúde, o governo de Maduro salvou mais de um milhão de pessoas da morte. Com o seu plano de alimentação e as «CLAP», o abastecimento já chega a cerca de 6 milhões de venezuelanos. A habitação já chegou a cerca de um milhão e meio de venezuelanos. Na educação, os venezuelanos também estão à frente dos brasileiros e dos mexicanos. Por falar em desporto, a Venezuela também consegue vitórias. Por isso, quem destrói e denigre aquilo que a governação de Maduro faz, é por muita ignorância e por ser um medíocre no pensamento.
  • Alexandre
    21 mai, 2017 Lisboa 22:21
    Arnold Schwarzeneger diz o seguinte de Donald Trump: «Trump quer devolver a América à "idade da Pedra", mas "um homem" não chega para destruir a Terra». Ao que parece, não é Maduro o mal, mas sim Donald Trump.
  • rosinda
    21 mai, 2017 palmela 01:50
    fascista ! trazes venezuelanos morrer a fome!
  • ac
    20 mai, 2017 lx 12:16
    Primeiro olha para o teu país e a m... que estes esquerdistas de Chavez e Maduro fizeram antes de falares dos outros
  • António Almeida
    20 mai, 2017 V. N. de Gaia 12:11
    O pior cego é o que não quer ver.
  • Arlindo
    20 mai, 2017 11:56
    As declarações de Maduro correspondem ao sacudir do capote.O problema da Venezuela é Maduro.A democracia não deve ser hipotecada sob pretexto algum e nada desculpa a violação da Constituição e a pretensão da anulá-la.Qual é o lugar do povo na governação?Ou haverá pensador que se subtraía ao veredicto popular ?
  • António Cunha
    20 mai, 2017 Setúbal 11:51
    Pela primeira vez gostei do discurso deste senhor.