O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Ouça a gravação que pode fazer cair Temer

18 mai, 2017 - 23:34

A gravação foi validada e divulgada pelo Supremo Tribunal Brasileiro.
A+ / A-

O Supremo Tribunal Brasileiro (STB) revelou um novo "grampo" - designação, no Brasil, de gravação de escuta telefónica - em que o Presidente do Brasil, Michel Temer, em conversa com o empresário Joesley Batista, dá, alegadamente, luz verde ao pagamento de subornos ao ex-deputado Eduardo Cunha. Antes, o STB tinha autorizado a abertura de um inquérito ao Presidente brasileiro.

A parte mais polémica da gravação é por volta dos 11 minutos e 30 segundos, quando se ouve a expressão "tem de manter isso", no que será uma referência ao pagamento de suborno a Eduardo Cunha.

Michel Temer, garantiu que não abandona a presidência do Brasil: "Não renunciarei. Repito, não renunciarei."

"Sei o que fiz e sei da correcção dos meus actos Exijo investigação plena e muito rápida", disse, numa curta declaração ao país, a partir do Palácio do Planalto .

Temer garante que "em nenhum momento" autorizou que pagassem dinheiro a quem quer que fosse para ficar calado. "Não comprei o silêncio de ninguém". O chefe de estado brasileiro diz não temer "nenhuma delação" até por não ter "nada a esconder".

"Esta situação de dúvida não pode persistir por muito tempo. Se foram rápidas nas gravações clandestinas não podem tardar nas investigações", acrescentou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Horacio
    21 mai, 2017 Lisboa 17:11
    Só existe uma solução para a política brasileira .desolver o congresso e o senado e ter novas eleições sem a participação dos involvidos em qualquer corrupção nos últimos 20 anos .e novas eleições para presidente . No meio termo .o país será governado por uma comissão composta por o Sérgio Moro como o principal .um general das forças armadas .o chefe do tribunal supremo . Um empresário não involvido em casos de corrupção. Um diplomata .e um cidadão de integridade reconhecida e um economista . Acho que uma comissão destas pode muito bem governar o país durante 4 meses até o novo governo ser instalado.
  • Vasco
    20 mai, 2017 Santarém 22:25
    Infelizmente no Brasil os políticos parecem sofrer todos do mesmo mal «suborno» e tudo isto parece ser fruto de uma sociedade contaminada, por este caminhar o país nunca mais encontrará o rumo certo para poder seguir em paz e prosperidade.
  • Os direitolas
    19 mai, 2017 Lx 15:48
    Sabem acusar os outros daquilo que eles próprios praticam. É a velha tática dos hipócritas sacanas!
  • couto machado
    19 mai, 2017 porto 15:40
    Ouvi o homem na gravação e quando disse de viva voz, não renunciarei. A gravação tem uma voz muito diferente da outra. Não será arranjo para incriminar o homem, a ver se vai embora ? Os "supremos" mais uma vez, o que querem é ter serviço....e a imprensa também, dada a tremenda crise em que vivem.
  • Filipe
    19 mai, 2017 évora 14:39
    Onde é que eu vi este filme do "poder" a todo o custo ? Eu digo : Em Portugal afastaram o Manuel Monteiro ... o Seguro ... o Alegre ... o Sócrates ... e foram trocados tal como este por iguais semelhantes . Então este tipo afasta e faz uma campanha contra uma Senhora e um ex-Senhor do Brasil e no fim ele é a praga mafiosa criminosa que todos os covardes adoram ter como filhos !