A+ / A-

Papa em Fátima. 24 horas de visita, 24 frases marcantes

13 mai, 2017 - 17:40 • Carla Caixinha , Eunice Lourenço

De Maria aos refugiados, da justiça aos "Jesus escondido" que vive "nas chagas dos irmãos doentes". Uma selecção de frases de uma visita histórica.
A+ / A-
"Uma bênção sem conta, de Portugal para o mundo". As 24 horas do Papa em Fátima
"Uma bênção sem conta, de Portugal para o mundo". As 24 horas do Papa em Fátima


O Papa Francisco saiu ao início da tarde deste sábado de Fátima terminando a sua peregrinação ao santuário mariano por ocasião do centenário das aparições.

Durante a missa deste sábado, o Papa canonizou os pastorinhos Jacinta e Francisco enaltecendo a "força revolucionária da ternura e do carinho", inspirada em Maria.

O líder da Igreja Católica chegou na sexta-feira à tarde a Fátima, onde visitou a Capelinha das Aparições e participou, à noite, na tradicional bênção das velas e na oração do rosário.

Recorde aqui algumas das frases desta visita:

DIA 12

“Sempre que olhamos para Maria, voltamos a acreditar na força revolucionária da ternura e do carinho. Esta dinâmica de justiça e de ternura, de contemplação e de caminho ao encontro dos outros é aquilo que faz d’Ela um modelo eclesial. Possamos, com Maria, ser sinal e sacramento da misericórdia de Deus que perdoa sempre, perdoa tudo.” Papa na bênção das velas, na Capelinha das Aparições

“Peregrinos com Maria… Qual Maria? Uma 'Mestra de vida espiritual', a primeira que seguiu Cristo pelo caminho 'estreito' da cruz dando-nos o exemplo, ou então uma Senhora ‘inatingível’ e, consequentemente, inimitável? A 'Bendita por ter acreditado', sempre e em todas as circunstâncias nas palavras divinas, ou então uma ‘Santinha’ a quem se recorre para obter favores a baixo preço? A Virgem Maria do Evangelho venerada pela Igreja orante, ou uma esboçada por sensibilidades subjectivas que A vêem segurando o braço justiceiro de Deus pronto a castigar: uma Maria melhor do que Cristo, visto como Juiz impiedoso; mais misericordiosa que o Cordeiro imolado por nós?” Papa na bênção das velas, na Capelinha das Aparições

“Devemos antepor a misericórdia ao julgamento e, em todo o caso, o julgamento de Deus será sempre feito à luz da sua misericórdia.” Papa na bênção das velas, na Capelinha das Aparições

"Percorreremos, assim, todas as rotas, seremos peregrinos de todos os caminhos, derrubaremos todos os muros e venceremos todas as fronteiras, saindo em direcção a todas as periferias, aí revelando a justiça e a paz de Deus. Seremos, na alegria do Evangelho, a Igreja vestida de branco, da alvura branqueada no sangue do Cordeiro derramado ainda em todas as guerras que destroem o mundo em que vivemos.” Papa na Capelinha das Aparições

“Neste lugar onde há 100 anos a todos mostraste os desígnios da Misericórdia do nosso Deus, olho a tua veste de luz e, como bispo vestido de branco, lembro todos os que, vestidos da alvura baptismal, querem viver em Deus e rezam os mistérios de Cristo para alcançar a paz.” Papa na Capelinha das Aparições

“Peço a todos para se unirem-se a mim como peregrino da esperança e da paz: que as vossas mãos em oração continuem a apoiar as minhas.” Mensagem do Papa no Twitter

“Nossa Senhora convida a alistarmo-nos nesta luta do seu divino Filho, nomeadamente com a oração diária do terço pela paz no mundo. Porque, embora tudo dependa de Deus e da sua graça, é preciso agir como se tudo dependesse de nós, pedindo a Virgem Maria que o coração dos indivíduos, o lar das famílias, a caminhada dos povos e a alma fraterna da humanidade inteira Lhe sejam consagrados e colocados sob a sua protecção e guia. Ela quer gente entregue! O coração da Mãe alcançará vitória, à frente de milhões dos seus filhos e filhas.” Cardeal Pietro Parolin, que presidiu à missa na noite de sexta-feira

“No meio de toda esta preocupação e incerteza quanto ao futuro, que nos pede Fátima? Perseverança na consagração ao Imaculado Coração de Maria, diariamente vivida com a reza do terço. E se, não obstante a oração, as guerras persistirem? Ainda que não se veja resultados imediatos, perseveremos na oração… esta nunca é inútil.” Cardeal Pietro Parolin, que presidiu à missa na noite de sexta-feira

“Se recebermos uma nota de dinheiro falsa, uma reacção espontânea, e até considerada lógica, seria passá-la a outra pessoa. Se me comportar segundo esta lógica, a minha situação muda: era vítima inocente quando recebi a nota falsa; o mal dos outros caiu sobre mim. Mas, no momento em que conscientemente passo a nota falsa a outrem, já não sou inocente; converti-me em transmissor do mal, em responsável e culpado. A alternativa é travar o avanço do mal; mas isto só é possível pagando um preço, ou seja, ficando eu com a nota falsa e, assim, libertando os outros do avanço do mal. Esta reacção é a única que pode travar o mal e vencê-lo. Os seres humanos alcançam esta vitória quando são capazes de um sacrifício que se faz reparação.” Cardeal Pietro Parolin, que presidiu à missa na noite de sexta-feira

“Com frequência somos surpreendidos por imagens de morte, pela dor de inocentes que imploram ajuda e consolação, pelo luto de quem chora uma pessoa querida por causa do ódio e da violência, surpreendidos pelo drama dos deslocados que fogem da guerra ou dos migrantes que morrem tragicamente”. Cardeal Pietro Parolin, que presidiu à missa na noite de sexta-feira

É com grande alegria que recebemos em Portugal o Papa Francisco, uma referência certamente para os crentes, mas uma referência para todos aqueles que acreditam nos valores da paz, nos valores da humanidade, nos valores da dignidade da pessoa humana." António Costa, vídeo divulgado no Twitter e no Instagram

“Francisco é inspirador para o exercício de qualquer chefe de Estado, chefe de Governo, político, ou qualquer cidadão, porque é um testemunho espiritual único, de serviço daqueles que mais precisam, de disponibilidade, de atenção às periferias”. Marcelo Rebelo de Sousa

Papa na Bênção das Velas: Maria não é maior que Cristo, nem "santinha" de favores
Papa na Bênção das Velas: Maria não é maior que Cristo, nem "santinha" de favores
Papa reza na Capelinha das Aparições: “Seremos a Igreja vestida de branco”
Papa reza na Capelinha das Aparições: “Seremos a Igreja vestida de branco”

DIA 13

“Fátima é sobretudo este manto de Luz que nos cobre quando nos refugiamos sob a protecção da Virgem Mãe para Lhe pedir: mostrai-nos Jesus.” Mensagem de despedida do Papa no Twitter, reforçando uma das mensagens da homília

“Irmãos e irmãs, obrigada por me acompanhardes! Não podia deixar de vir aqui venerar a Virgem Mãe e confiar-lhe os seus filhos e filhas. Sob o seu manto, não se perdem; dos seus braços, virá a esperança e a paz que necessitam e que suplico para todos os meus irmãos no baptismo e em humanidade, de modo especial para os doentes e pessoas com deficiência, os presos e desempregados, os pobres e abandonados.” Papa na homilia da eucaristia que encerra a peregrinação aniversária

“Ao ‘pedir’ e ‘exigir’ o cumprimento dos nossos deveres de estado (carta da Irmã Lúcia, 28/II/1943), o Céu desencadeia aqui uma verdadeira mobilização geral contra esta indiferença que nos gela o coração e agrava a miopia do olhar. Não queiramos ser uma esperança abortada. A vida só pode sobreviver graças à generosidade de outra vida.” Papa na homilia da eucaristia que encerra a peregrinação aniversária

"[A Igreja] brilha quando é missionária, acolhedora, livre, fiel, pobre de meios e rica no amor.” Papa na homilia da eucaristia que encerra a peregrinação aniversária

“A Virgem Mãe não veio aqui, para que a víssemos. Para isso teremos a eternidade inteira, naturalmente se formos para o Céu. Mas Ela, antevendo e advertindo-nos para o risco do Inferno onde leva a vida – tantas vezes proposta e imposta – sem-Deus e profanando Deus nas suas criaturas, veio lembrar-nos a Luz de Deus que nos habita e cobre, pois, como ouvíamos na Primeira Leitura, o Filho foi levado para junto de Deus”. Papa na homilia da eucaristia que encerra a peregrinação aniversária

“Amados peregrinos, diante dos nossos olhos, temos Jesus escondido mas presente na Eucaristia, como temos Jesus escondido mas presente nas chagas dos nossos irmãos e irmãs doentes e atribulados. No altar, adoramos a Carne de Jesus; neles encontramos as chagas de Jesus.” Papa antes da bênção aos doentes

“Queridos doentes, vivei a vossa vida como um dom e dizei a Nossa Senhora, como os Pastorinhos, que vos quereis oferecer a Deus de todo o coração. Não vos considereis apenas receptores de solidariedade caritativa, mas senti-vos inseridos a pleno título na vida e missão da Igreja”. Papa antes da bênção aos doentes

“A vossa presença silenciosa mas mais eloquente do que muitas palavras, a vossa oração, a oferta diária dos vossos sofrimentos em união com os de Jesus crucificado pela salvação do mundo, a aceitação paciente e até feliz da vossa condição são um recurso espiritual, um património para cada comunidade cristã. Não tenhais vergonha de ser um tesouro precioso da Igreja”. Papa antes da bênção aos doentes

“O vosso magistério, Santo Padre, coincide insistentemente com o da própria ‘Mãe de Misericórdia”. O que os pastorinhos lhe ouviram foi sempre no sentido do amor aos outros, do resgate dos males que os afligiam no corpo ou no espírito, da reparação do mal através do sacrifício pelo bem de todos.” D. Manuel Clemente, mensagem de saudação e agradecimento na Casa do Carmo

“Este santuário transforma as lágrimas em esperança, supera as guerras pela paz, torna-se ele próprio numa fonte de misericórdia, a brotar dos Corações Cristo e de Maria. Assim mesmo o pretendeis para o mundo inteiro, Santo Padre. Assim mesmo nos estimulais constantemente, por palavras e atitudes incansáveis. Convosco, a união de Fátima e da sua Mensagem com o Papa e o seu ministério ganham especial relevo e urgência nas actuais circunstâncias da Igreja e do mundo, da Igreja para o mundo.” D. Manuel Clemente, mensagem de saudação e agradecimento na Casa do Carmo

“O Papa Francisco é uma voz profética capaz de abater muros de separação, de lançar pontes de encontro entre os homens e os povos, de ser a voz dos sem voz (dos pobres, sofredores, descartados), de abrir caminhos de esperança e de paz, de levar a alegria do evangelho a todas as criaturas em quaisquer condições que se encontrem.” Bispo de Leiria-Fátima, António Marto (13/05/2017)

Papa Francisco. "Queridos doentes vivei a vossa vida como um dom"
Papa Francisco. "Queridos doentes vivei a vossa vida como um dom"
Papa. "Maria não veio a Fátima para que a víssemos, mas para avisar sobre o inferno que é a vida sem Deus"
Papa. "Maria não veio a Fátima para que a víssemos, mas para avisar sobre o inferno que é a vida sem Deus"
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.