O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Salvador Sobral leva Portugal à Eurovisão. “É tudo muito estranho”, diz a mãe

09 mai, 2017 - 08:19

“Amar pelos Dois” é a canção que o cantor, que tem feito sucesso nas redes sociais e meios de comunicação estrangeiros, leva à Ucrânia. Recorde a entrevista da mãe de Salvador à Renascença.
A+ / A-


Portugal poderá obter, este ano, um dos melhores resultados de sempre no Festival Eurovisão da Canção. Esta terça-feira à noite, o cantor Salvador Sobral representa o país com a música “Amar pelos dois”.

É a primeira semifinal do festival, que este ano decorre em Kiev, na Ucrânia.

As apostas e as reacções difundidas nas redes sociais, bem como o destaque dado ao cantor português nos meios de comunicação social estrangeiros fazem subir a expectativa face ao resultado.

A propósito do Dia da Mãe, a Manhã da Renascença convidou Luísa Villar, a mãe de Salvador e Luísa Sobral, para conversar.


De acordo com o site eurovisionworld.com, dedicado ao concurso, Portugal surge no segundo lugar, numa média de várias casas de apostas. Itália, com a canção “Occidentali´s Karma”, interpretada por Francesco Gabbani, é apontada como favorita para vencer o concurso.

Em cada semifinal (a segunda realiza-se na quinta-feira, dia 11) participam concorrentes de 18 países. A final é disputada no sábado por representantes de 26 territórios: os 20 qualificados nas semifinais, os chamados “Cinco Grandes” (França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido) e o país anfitrião (Ucrânia).

A primeira semifinal e a final vão ser emitidas em directo pela RTP, a partir das 20h00. A segunda semifinal será em diferido, pelas 22h00.

“Amar pelos dois” foi composta por Luísa Sobral, irmã de Salvador, e venceu a final do Festival da Canção, que decorreu a 6 de Março no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

Depois de um ano de ausência, Portugal regressa assim à Eurovisão, onde se estreou em 1964. A última vez competiu numa final foi em 2010.

A melhor classificação portuguesa no concurso foi em 1996, com um sexto lugar obtido por Lúcia Moniz, com a canção “O meu coração não tem cor”.

Festival ensombrado por questões políticas

À parte as canções, a edição deste ano do Festival Eurovisão da Canção ficará marcada pelo conflito entre a Ucrânia e a Rússia. A 13 de Abril, a Rússia anunciou que não iria participar no concurso depois de a Ucrânia ter impedido a entrada da concorrente russa em território ucraniano.

De acordo com a Agência France Presse, a cantora Yulia Samoylova está proibida de entrar na Ucrânia durante três anos, por ter dado um concerto na Crimeia em Junho de 2015, após a anexação russa daquela península em 2014.

Entretanto, a organização do festival sugeriu à Rússia a possibilidade de participar no festival com uma actuação via satélite, algo que foi imediatamente rejeitado.

A cadeia de televisão russa Perviy Kanal anunciou na quinta-feira que não irá emitir o concurso devido à interdição. Depois deste anúncio, a organização do Festival Eurovisão da Canção divulgou que a Rússia “não está em condições de participar na competição deste ano”.

Além disso, a organização do festival, que insiste na participação da cantora russa, ameaçou excluir a Ucrânia das próximas edições do concurso se Kiev insistir em proibir a entrada de Yulia Samoylova no país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Rui Saraiva
    19 mai, 2017 Londres 06:01
    Os comentarios habituais do deita abaixo.. conformados de tal ordem com resultados de outra hora que nem lufada de ar fresco fax sentido.. Da pena ver que nada serve a certa gentalha.. nao consigo percebr como se mantem em Portugal.. venham ca fora aprender a serem Portugueses.. Ja agora quase duas semanas apos esta entrevista.. Ganhamos! Portugal Ganhou! Sem espinhas como diz o povo..
  • rosinda
    09 mai, 2017 palmela 12:47
    Vamos la a ver se desta vez nao me esqueco de do miudo do carrapicho!
  • António
    09 mai, 2017 Açores 10:57
    Sigo o festival da eurovisão desde criança. Não tenho duvidas que a canção do Sobral é de qualidade e com uma musicalidade deveras fora do comum. Agora se vai ganhar o festival... não sei.
  • Maria
    09 mai, 2017 Porto 10:43
    O que nós não temos é vergonha! Isto é alguma presença digna? Não acham que os Portugueses merecem melhor?
  • Cid
    09 mai, 2017 Cartuxa 10:06
    Estranho é os organizadores do festival em Portugal já saberem quem é o próximo "artista" Português" que para o ano vai passear à €urovisão! Com o deste ano e dos outros anteriores também foi assim!
  • Piedade
    09 mai, 2017 Almada 10:05
    É bom sonhar, mas saber que estamos a sonhar. Não ponham as expectativas muito altas, para não terem desilusões. Já não é a primeira vez que se diz que "é desta" e, depois, nem à final chegamos. Não se esqueçam que os países do centro da Europa têm muitos vizinhos, nós só temos um. E os vizinhos costumam votar entre si. Pessoalmente, acho a nossa canção bonita... como canção de embalar, não para um festival da Eurovisão. A letra é bonita, sim, mas a música, não sei se por ser interpretada por alguém que não tem voz, dá-me sono.