A+ / A-

Fátima acolhe encontro mundial dos Cursilhos de Cristandade

04 mai, 2017 - 14:00 • Paula Costa Dias

O V Ultreia Mundial coincide com os 100 anos das Aparições de Fátima e do nascimento do fundador do movimento, Eduardo Bonnín. Participam nove mil pessoas de 39 países, incluíndo um enviado especial do Papa.
A+ / A-

O prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, D. João Braz de Aviz, foi o escolhido pelo Papa Francisco para o representar na V Ultreia Mundial dos Cursilhos de Cristandade.

O encontro, que decorre de quatro em quatro anos, tem como tema ‘É hora dos cursilhos’., reúne, a partir desta quinta-feira, cerca de nove mil membros deste movimento da Igreja, com três temas de fundo na agenda: o centenário das aparições, os 100 anos do nascimento do fundador Eduardo Bonnin que se assinalam hoje (faleceu em 2006), e o encontro de culturas com vista à unidade na diversidade.

Na apresentação da iniciativa, o bispo D. Francisco Senra Coelho, director espiritual deste movimento, explicou que o encontro mundial dos Cursilhos de Cristandade “não é algo de irrelevante, uma visita à memória histórica ou uma contemplação de um passado triunfalista", mas sim "um compromisso de renovação na fidelidade ao carisma fundacional que tem sempre no centro a pessoa humana”.

Para este responsável, que é, também, bispo auxiliar de Braga, a presença em Portugal de delegações de países como a Coreia do Sul, Guiné-Equatorial, Sri Lanka ou Camboja é um “estímulo” para reforçar a dinâmica do movimento, que tem uma proposta de “alegria e esperança”.

“Acreditamos profundamente na missão dos Cursilhos de Cristandade”, acrescenta D. Francisco, que elogia, ainda, a “valorização do laicado” que tem sido promovida desde o seu início nos cursilhos, promovendo uma maior “consciencialização” em relação ao papel dos leigos na vida da Igreja Católica.

O presidente do Comité Executivo do Organismo Mundial dos Cursilhos de Cristandade, Francisco Salvador, lembra que este foi um “movimento de vanguarda” que antecedeu o Concílio Vaticano II (1962-1965) e que hoje procura manter essa identidade, de modo a "chegar a todos, às periferias e, sobretudo, aos que estão mais afastados” da Igreja, numa dinâmica que vai ao encontro das ideias fundamentais do pontificado do Papa Francisco.

A apresentação do processo de beatificação do fundador do movimento será outro ponto alto deste encontro, que inclui diversos momentos de oração, conferências e tertúlias. No sábado, 6 de Maio, o movimento vai promover a sua consagração a Nossa Senhora de Fátima. “A consagração irá trazer, naturalmente, benefícios claros ao movimento. Maria esteve sempre connosco, mas vamos pedir a sua intercessão de uma forma expressa”, explica Francisco Salvador.

A cerimónia está marcada para as 15h30, na Capelinha das Aparições, e contará com a presença do enviado especial do Papa e do cardeal patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.

O MCC é um movimento laical que nasceu em Palma de Maiorca (Espanha), em 1949. Tem reconhecimento canónico pela Santa Sé como “estrutura de coordenação, promoção e difusão da experiência dos Cursilhos de Cristandade”. Portugal é, pela primeira vez, o principal ponto de encontro para membros do movimento, depois de ter sido escolhido como sede da organização mundial durante o último encontro europeu, que se realizou em Maio de 2013, na Áustria.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.