A+ / A-

O primeiro farol construído em Portugal vai ser restaurado

04 mai, 2017 - 11:00 • Sara Beatriz Monteiro

O restauro do farol-capela de São Miguel-o-Anjo, na foz do Douro, vai custar 180 mil euros.

A+ / A-
Um farol com cinco séculos
Um farol com cinco séculos

Veja também:


O protocolo para o restauro do farol-capela de São-Miguel-o-Anjo, no Porto, vai ser assinado esta quinta-feira, em resultado de uma parceria entre a Direcção Regional de Cultura do Norte, a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) e a Associação Comercial do Porto.

“É um farol que se mantém praticamente intacto desde a sua construção. É uma marca patrimonial de relevância e de referência que importa salvaguardar. Será mais um marco diferenciador do património da região norte.”, sublinha o director regional, António Ponte, em entrevista à Renascença.

O farol de São-Miguel-o-Anjo, situado na foz do Douro, na Cantareira, foi o primeiro a ser construído de raiz em território nacional e classificado em 1951 como Imóvel de Interesse Público. As obras vão permitir preservar o património e, ao mesmo tempo, promover a actividade turística.

“Para além de todo o restauro da estrutura arquitectónica, mas também de toda a sua decoração [com a obra] prevê-se abrir ao público o Farol-Capela de São-Miguel-o-Anjo como mais um elemento de activação e valorização da oferta turística da região norte e, no caso concreto, numa zona mais fora do centro da cidade do Porto.”, explica António Ponte.

O Director Regional de Cultura do Norte adianta que as obras devem começar “logo após o Verão” e que a intervenção deve terminar em menos de um ano “sendo que a intervenção em património é sempre susceptível de alguma imprevisibilidade”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • J. Moura
    08 mai, 2017 Matosinhos 16:21
    Finalmente uma boa notícia relativa ao Porto. É incrível o estado a que se deixou chegar a capela (lindíssima) e o farol numa zona de beleza única.
  • nyckyluz
    04 mai, 2017 GMR 15:13
    Que boa ideia. Os farois são bonitos e fazem parte da nossa costa devem se manter em bom estado pois a erosão deve ser precavida. Gostei.
  • 04 mai, 2017 14:29
    Excelente ideia.
  • JR
    04 mai, 2017 LIsboa, Puto 13:51
    Em que ano começou a ser construído? Boa tarde, obrigado, adeus e desculpe.