A+ / A-

Oração em árabe na missa do 13 de Maio

27 abr, 2017 - 13:42

As cerimónias em Fátima vão ser em português e incluem uma oração em árabe pelos migrantes, pobres e refugidos.
A+ / A-

As cerimónias de 13 de Maio no Santuário de Fátima, presididas pelo Papa Francisco, vão ser em português e incluem uma oração em árabe na qual se pede pelos migrantes, pobres e refugidos, foi anunciado esta quinta-feira.

“A missa presidida pelo Santo Padre vai ser em língua portuguesa, não vamos usar nem o latim, nem o espanhol nas orações que o papa proferirá, nem na homilia, nem na alocução aos doentes”, afirmou esta quinta-feira, em Fátima, o padre Joaquim Ganhão, responsável pela liturgia na comissão da visita do papa Francisco.

A semana passada, a página oficial na Internet da peregrinação do papa Francisco a Fátima já tinha anunciado que a cerimónia de canonização dos beatos Francisco e Jacinta, que antecede a missa, seria em português.

Questionado sobre a razão de Francisco optar por falar em português, Joaquim Ganhão explicou que se deve “ao costume que o Papa tem”, observando que foi esse o critério, por exemplo, na Jornada Mundial da Juventude, no Brasil.

“Se é certo que o Papa falará em Português, porque, de facto, a grande assembleia será de língua portuguesa, embora tenhamos muitos grupos estrangeiros, também é certo que algumas partes cantadas” serão em latim, precisou o responsável.

O sacerdote acrescentou que na “Oração Universal, que é um momento também muito significativo para os peregrinos”, algumas intenções serão noutras línguas, entre as quais o árabe.

De acordo com o mesmo site, “a Oração dos Fiéis, como é tradição nas peregrinações internacionais aniversárias, será rezada em seis línguas: português, italiano, inglês, francês, polaco e árabe”.

“Na oração em árabe, pede-se pelos migrantes, pelos pobres e pelos refugiados, ‘para que por intercessão de Maria, que conhece as suas dores, se sintam acolhidos por todos os que lhes oferecem dignidade e razões de espera’”, lê-se na página.

Depois da homilia da missa e após a palavra aos doentes, que habitualmente é proferida nas peregrinações internacionais aniversárias, o "Papa vai pessoalmente fazer a bênção dos doentes, numa zona reservada na colunata norte".

Francisco será o quarto papa a visitar Fátima, a 12 e 13 de Maio, e vai presidir ao centenário dos acontecimentos na Cova da Iria.

Os anteriores papas a estar em Fátima foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

No dia 13 de Maio, Francisco vai presidir à cerimónia de canonização dos beatos Francisco e Jacinta Marto, os mais jovens santos não-mártires. A cerimónia é a primeira realizada em Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joana Freudenthal
    28 abr, 2017 Lisboa 00:48
    Renascença, por que é que põem um título destes nesta notícia??? Não sabem já que vão gerar uma polémica desnecessária??? Não chega já o resto da comunicação social a provocar críticas e ataques à visita do Santo Padre a Portugal??? Eu sei que está tudo explicado no texto, mas vocês sabem que a maioria das pessoas só lê o título e quem quer atacar aproveita logo.