O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Estado Islâmico reivindica ataque na Rússia

21 abr, 2017 - 23:16

Instalações do ex-KGB foram atacadas.
A+ / A-

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou o ataque que causou duas mortes nas instalações do Serviço Federal de Segurança (FSB) em Kharabovsk, no extremo oriente russo.

De acordo com o centro americano de fiscalização das páginas da internet do EI, "Site", o órgão de propaganda do grupo extremista, "Amaq", publicou um pequeno texto em árabe na rede social "Telegram" no qual faz referência a uma "fonte de segurança" que reivindicou o ataque.

No texto traduzido para inglês pelo "Site", a mesma fonte disse que o ataque provocou três mortos e alguns feridos.

O FSB russo explicou que um invasor entrou nas instalações do Serviço, às 17h02 locais (8h02 em Portugal), antes de matar um agente do Serviço e um visitante e ferir outro.

"O agressor foi eliminado", disse o FSB em comunicado.

"A identidade do criminoso foi estabelecida, é um habitante da região de Khabarovsk, que nasceu em 1999. As informações apontam para que pertença a um grupo neonazi", disse o FSB noutro comunicado, citado pelas agências noticiosas russas.

O tiroteio aconteceu um dia depois de um ataque nos Campos Elísios, em Paris, durante o qual um polícia foi morto e três pessoas ficaram feridas, incluindo dois polícias, e que foi reivindicado pelo EI.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Parc.
    22 abr, 2017 almassa 12:25
    Talvez (?) a maneira de dar uma volta a esta questão do terrorismo, na minha modesta opinião, seja : No mínimo, todo aquele/a que seja das tais raças duvidosas, sejam remetidas aos seus países de origem e lá enfrentem aqueles que andam a fazer estas guerras, pois estão nas suas terras e as devem defender e assim, dado que ninguém trás tabuleta na testa a dizer que é terrorista, sempre há possibilidade de dar uma volta a esta tragédia, porque assim com esta entrada de gente à fartazana, é um caso sério.