O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Marine Le Pen sobe em sondagem após ataque de Paris

21 abr, 2017 - 17:16

O candidato independente Emmanuel Macron perdeu 0,5 pontos em relação ao dia anterior, mas continua a liderar com 24,5%.
A+ / A-

A candidata presidencial Marine Le Pen cresceu um ponto percentual nas intenções de voto numa sondagem realizada já depois do ataque terrorista de ontem, em Paris.

De acordo com o estudo realizado pelo instituto Odoxa a dois dias das eleições, a candidata da Frente Nacional, de extrema-direita, subiu para 23%, mas continua em segundo lugar.

Marine Le Pen. A filha vai cumprir o sonho radical do pai?
Marine Le Pen. A filha vai cumprir o sonho radical do pai?

O independente Emmanuel Macron perdeu 0,5 pontos em relação ao dia anterior, mas continua a liderar com 24,5%.

François Fillon e Jean-Luc Mélenchon estão empatados com 19% das intenções de voto nesta sondagem Odoxa.

Emmanuel Macron. O candidato que não é de esquerda nem de direita
Emmanuel Macron. O candidato que não é de esquerda nem de direita

Na segunda volta, Emanuelle Macron vence com 62% e Marine Le Pen não vai além dos 38%, indica o barómetro. Ainda assim, a candidata de extrema direita sobe três pontos.

Esta sondagem foi realizada após o ataque terrorista de quinta-feira, nos Campos Elísios, em Paris.

Um atirador matou um polícia e feriu outros dois. O atacante foi abatido no local pelas forças de segurança.

Um ataque a três dias das eleições francesas. Como reagiram os candidatos?
Um ataque a três dias das eleições francesas. Como reagiram os candidatos?

O ataque aconteceu a três dias da primeira volta das eleições presidenciais de domingo.

Na reacção à acção reivindicada pelos terroristas do Estado Islâmico, Marine Le Pen defendeu o fecho imediato das fronteiras de França e de todas as mesquitas radicais, a expulsão do país de todos os que fizerem a apologia do Islão radical.

Os outros candidatos não defendem medidas tão radicais como a candidata da extrema-direita. Emmanuel Macron disse que a França não pode "ceder ao medo" e afirmou que o terrorismo é uma luta para os próximos anos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jorge
    22 abr, 2017 Sintra 10:29
    P/Carlos- Não vejo, onde esteja quaisquer manipulação da informação. É alguma inverdade que a candidata (da extrema-direita e fascizante), Marine Le Pen , subiu nas sondagens? Vários órgãos de comunicação social avançaram com essa informação! É preferível saber a verdade, do que estar sem informação ou que a mesma seja ocultada. Há que respeitar a independência dos profissionais do jornalismo, para que a informação seja objectiva e verosímil.
  • Fernando
    22 abr, 2017 Porto 09:47
    Não me admirava nada, se fosse um acto antecipado e organizado pela extrema direita, para dar às eleições
  • Ela
    21 abr, 2017 Lisboa 22:53
    Obrigada pelo seu esclarecimento, Carlos de Bordéus. E que Deus dê muita força a Emmanuel Macron. Na Holanda, o candidato de extrema-direita não passou; e na França, a candidata de extrema-direita também não passará. Nem extrema-esquerda, nem extrema-direita. São tão perniciosos uns como os outros.
  • Marcio
    21 abr, 2017 Faro 20:34
    Isto é o desespero para os comunas tugas...quando a direita começar a ganhar pela Europa(França,Austria,Holanda...etc) e será uma questão de tempo, algo mudará!
  • Paulo Jorge Ribeiro
    21 abr, 2017 Caldas da Rainha 19:46
    Quem pagou esta encomenda para ganhar as eleições. Já em território americano fizeram o mesmo, com queda das TORRES. Falta saber quem e, a quem vão vender a MÃE das bombas. Por favor, a História da nossa triste mas, querida Humanidade será dominada por PULHAS que semeiam a guerra para vender a liberdade, por uns míseros trocos, a quem nos dizem ser danos colaterais. Muito obrigado aos EXTREMISTAS sejam eles de qualquer religião, politica, nacionalidade ou, com diferentes orientações sexuais. Por favor, deixem-nos de emprenhar pelos ouvidos. SE não fizermos caso a esta ATRASADA MENTAL, que anda a minar o seu país, tenho a certeza que, mesmo sendo tardio a Humanidade ainda, tenha um pouco de tempo para viver em PAZ. Nem que seja para renovar as pessoas de BEM
  • Nekas
    21 abr, 2017 Lisboa 19:10
    O problema do terrorismo não se resolve com xenofobia,pelo contrário prejudica mais porque cria mais descrença e mais ódios,os países europeus têm de se entender para acabar com o terrorismo atacando a origem,destruir o estado islãmico nem que seja com bombas nucleares,se for preciso a destruição macissa,são anti humanos que nada respeitam e as religiões tem de se unir para combater isso,a direita Le Pen em França pode reforçar a xenofobia que não intereça na europa,embora deva haver um contol apertado.
  • Mark
    21 abr, 2017 Ponta Delgada 19:01
    Força Le Pen!
  • Bem-me-quer-mal-me-q
    21 abr, 2017 lx 18:24
    O título diz tudo: «A agonia de uma imprensa que gosta de engolir sapos»...!
  • Augusto
    21 abr, 2017 Lisboa 18:10
    A RR continua a sua DESCARADA campanha a favor da candidata da extrema-direita racista, hoje foram publicadas VÁRIAS sondagem em TODAS a Le Pen ou baixa ou mantém os resultados , o que é normal , o atentado dos Campos Elisios foi ás 22 horas, e é impossível isso já ter reflexo nas sondagens. Enfim " jornalismo "
  • Carlos
    21 abr, 2017 Bordéus 17:57
    Onde foi a Renascença buscar tal informação manipuladora? Para quem compreender o francês e consultar http://www.bfmtv.com/politique/presidentielle-macron-se-detache-le-pen-fillon-et-melenchon-se-tiennent-en-deux-points-1147286.html que não é propriamente uma fonte esquerdista poderá verificar o contrário ou seja "... constatar sobretudo que o candidato dos Republicanos e o tribuno da França insubmissa progressam respectivamente 0,5 e 1,5 pontos, quando, no mesmo período a patroa do FN perde 1,5. Parem de dizer BESTEIRA, Tá?. Se não leiam: "Marine Le Pen mène le bal de ce peloton avec 21,5%, devant François Fillon (20%) et Jean-Luc Mélenchon (19,5%). Dans le détail, on constate surtout que le candidat Les Républicains et le tribun de la France insoumise sont en progression, respectivement de 0,5 et 1,5 points, quand sur la même période la patronne du Front national en perd 1,5. Francamente!