O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Centenas de escolas fechadas devido a manifestação de trabalhadores não docentes

21 abr, 2017 - 08:23

Protestam, esta tarde, contra a falta de funcionários não docentes e das condições de trabalho.
A+ / A-

Após a manifestação dos professores, os trabalhadores não docente das escolas públicas também vão para a rua esta tarde. O protesto, marcado pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas (também afecta à CGTP), leva ao fecho de centenas de estabelecimentos de norte a sul.

“Não estamos a fazer nenhuma contagem de escolas pois o pré-aviso de greve é para a deslocação. Tenho a indicação de que há centenas de escolas fechadas, mas não temos uma contagem, pois não era um pré-aviso para encerrar escolas, apesar de muitas encerrarem. Os funcionários para virem à concentração têm de faltar”, explicou à agência Lusa Artur Sequeira, da federação.

“Há muitas escolas encerradas. Não vai atingir o número de escolas que encerrou na greve de dia 3 de Fevereiro porque essa aí era uma greve para encerrar escolas e esta não, era é uma greve para a manifestação”, reconheceu o sindicalista, sublinhando: “Não deixamos de valorizar as pessoas que não foram trabalhar porque é também uma forma de protesto”.

A concentração começa partir das 14h00, junto à estação da CP, na Av. 5 de Outubro, e depois desfilam até ao Ministério da Educação, onde querem “fazer sentir o seu protesto pelo facto de o Ministro da Educação não ter até agora aberto a negociação do Caderno Reivindicativo, entregue há um ano àquele membro do Governo”, refere a nota enviada à redacção.

“A escola pública continua a ter uma crónica falta de pessoal não docente efectivo, pelo que o recurso à contratação precária é sistemática; os trabalhadores continuam sem ter direito a carreiras específicas que dignifiquem o exercício das suas funções e promovam a qualidade dos serviços prestados; o Governo insiste em destruir a Escola Pública, com o processo de municipalização que porá em causa a sua universalidade e a desresponsabilização do poder central”, justifica o mesmo texto.

A federação queixa-se de falta de resposta da tutela a um caderno reivindicativo que entregou em Fevereiro e que, além desta questão, inclui uma nova portaria de rácios que tenha em conta o tipo de escola e a localização e não apenas os números de alunos e de funcionários.

Os trabalhadores não docentes pretendem também negociar carreiras especiais e assegurar que não ficam na tutela das autarquias, ao abrigo de um processo de descentralização que contestam.

No local da manifestação será depois aprovada uma resolução para entregar ao ministério.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Francisco Seabra
    21 abr, 2017 Olhão 19:37
    Aqui se vê como estão as nossas escola,universidades e politécnicos.Não à dinheiro para nada. Secaram tudo.Por isso o défice alcançado.O povo pode morrer à fome até, mas o que é preciso é cumprir na UE para o presidente e jornalistas da treta dizerem asneiras sobre o estado da economia, apregoando em voz alta que estamos numa boa.Pobre gente que nos informa.E assim o povo vai sendo embalado até ao novo sobressalto.Costa sabe como comprar a independência dos media.O dinheiro que está a entrar da UE vai calar muita redação de jornais e televisões. O povo será sempre chamado a pagar as asneiras, mas ao menos que alguns jornalistas sérios se safem.Agora os rendidos e comprados não fazem falta nenhuma.
  • Atentamente
    21 abr, 2017 Odivelas 15:49
    o "VIVA O XUXALISMO" e o "COSTA ILUSIONISTA" devem viver na ilusão dos tempos do "TRAPASSOS COELHO", ( ele....... sim mestre do ilusionismo político ) do sr. Wolfgang Schäuble ,da srª. Angela Merkel e da srª.Christine Lagarde, de quem é discípulo "fanático", e sublinho com ênfase "fanático". Não é em vão que temos tido resultados práticos e, organismos como INE FMI CFP OCDE ......entre outros, embora com reservas naturais, aprovam as medidas e as contas apresentadas. Concordo em absoluto com "MIGUEL NOGUEIRA" pois de algum tempo a esta parte, a FP/CGTP (principalmente) / UGT instituíram a sexta-feira para manifestações/greves,e para fintar a lei dizem que são plenários ou manifestações. Que me recorde, o conceito de greve será !? (permanência no local no local de trabalho sem realizar as funções) e aí, na presença do(s) delegados sindicais , realizar-se o respectivo plenário. Por último e por acréscimo, para quando uma recolha de assinaturas (a entregar directamente no Palácio de Belém) para correr com esta cambada de "políticos/oportunistas/chulos" esquerda - direita, que nos estão constantemente a iludir e ainda gozam com a nossa cara/voto.
  • isidoro foito
    21 abr, 2017 elvas 15:45
    porque será que a canalha comunista só fazem greves nas sextas feiras eles não querem mais nada a não ser fazer barulho e fins de semana prelongados
  • POPULISTAS FALSOS
    21 abr, 2017 Lx 15:15
    Por estas e outras parecidas Portugal nunca mais sairá do lixo...O resto é conversa de pantomineiros como o Costa e seus suportes de governo da esquerda folclórica...que dizem uma coisa e depois fazem o contrário.Gente sem verticalidade e que se tornou no maior embuste de mentiras, de populismo das esquerdas do tipo da Coreia e da Venezuela, esses dois expoentes máximos de democracia.Um páis de gente sem espinha dorsal: BE e PCP contra a Europa mas aceitam que o pantomineiro do Costa vá além da troyka no déficit ...O mesmo com o PCP...Em troca recebem umas migalhas da mangedoura do Estado, essa teta muito grande falida...
  • joão rodrigues
    21 abr, 2017 lisboa 15:02
    Esta manifestação, fora do contexto, como se diz agora, virá ou não confirmar que no governo anterior não havia falta de funcionários não docentes nas escola "vulgo" contínuos? É por estas e por outras do género que me lembro do Passos Coelho, com ele não havia macacadas ou trabalhas ou vais para a mobilidade, e o primeiro deveria ser o mário nogueira.
  • Miguel Nogueira
    21 abr, 2017 Riyadh 11:22
    E à boa maneira tugo-revolucionária, a greve / manifestação / calaceirice é Sexta feira à tarde. Levem o fato de banho, e ficam já para o fim de semana. Viva a CGTP! VIVAAAA!
  • VIVA O XUXALISMO
    21 abr, 2017 Lx 11:18
    E assim vai o xuxalismo no seu melhor com a tão apregoada paz social defendida pelo mentiroso compulsivo que nos desgoverna, pantomineiro mor do reino chamado Costa, mestre do ilusionismo político e das verdades alternativas....Enquanto isso, a dívida aumenta, o investimento público cai a pique, o deficit cai à custa de medidas extraordinárias e do perdão fiscal.É só malabarismo e mentiras, meias verdades, o chamado populismo da esquerda do folclore e do despesismo...Força kamarada Jerónimo mostra o poder da rua ao teu kamarada Costa e à tua kamarada Katrina, populistas da esquerda gastadora e despesista.
  • COSTA ILUSIONISTA
    21 abr, 2017 Lx 11:05
    E assim assistimos à paz social do pantomineiro do Costa e do Ministro Nogueira e do assessor Tiago no país da maravilha do socialismo e comunismo ao tipo da Venezuela...Lá chegaremos com estes vendedores de ilusões...