O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Pathé Duarte. “Medo poderá alterar dinâmicas de poder político"

21 abr, 2017 - 01:33

Especialista considera que ataque desta quinta-feira em Paris terá ligações às eleições presidenciais de domingo.
A+ / A-

Felipe Pathé Duarte, professor universitário e especialista em terrorismo, lembra que o ataque nos Campos Elísios, em França, reivindicado pelos terroristas do Estado Islâmico (Daesh) tem também uma interpretação política.

“Há, de facto uma grande dinâmica política, uma possibilidade de alteração do cenário político francês e europeu. E naturalmente isso está a ser explorado por parte do Daesh. A melhor forma de explorar essa situação é através da disseminação da violência, que naturalmente vai erradicar cada vez mais medo. E, que por sua vez, esse próprio medo poderá alterar as dinâmicas de poder político. E, portanto, isso acaba por ser a grande conclusão, ou o grande objectivo por parte do Daesh relativamente à estratégia europeia”, disse.

A pressão do Estado Islâmico tem aumentado em França, com o aproximar das eleições presidenciais de domingo, considera Felipe Pathé Duarte.

“A pressão que o Daesh tem estado a fazer na Europa, em particular em França, deve-se naturalmente também ao turbilhão e ao ambiente político que a França neste momento vive. Em particular tendo como pano de fundo as eleições de domingo. Por outro lado, também ver que França vive em estado de emergência desde 2015. E portanto, nos últimos dois anos, mais de duas centenas de franceses faleceram vítimas de acções terroristas por parte do Daesh. E terceiro, também é preciso lembrar que no início desta semana, houve dois supostos jihadistas que estavam a preparar um atentado e foram presos em Marselha”, acrescenta.

A França voltou esta quinta-feira a ficar em sobressalto com um tiroteio mortal nos Campos Elísios, uma das zonas mais emblemáticas da cidade de Paris, a três dias das eleições presidenciais.

A situação ainda está em desenvolvimento, mas está confirmada a morte de um polícia. Outros dois agentes ficaram feridos com gravidade, avança o Ministério do Interior.

Os terroristas do autoproclamado Estado Islâmco reivindicaram o ataque numa mensagem publicada no site de propaganda jihadista Amaq.

A reivindicação foi conhecida minutos depois de uma declaração ao país do Presidente francês. François Hollande disse que as investigações iniciais apontam para uma acção terrorista e convocou uma reunião do conselho de segurança, para sexta-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • TUGA
    21 abr, 2017 Lisboa 08:07
    A França está a colher o que semeou!!!! Em Portugal quando votarem, lembrem-se que a CML roubou dos nossos impostos milhões para darem aos muçulmanos e por vontade da esquerdalhada todo o lixo entra em Portugal e passa de imediato a português!!! Lembrem da herança que querem para os nossos filhos e netos!!! Pelos vistos só o PNR está contra a grosseira traição de se construir uma mesquita no Martim Moniz, este povo está em coma profundo!!!